Versão Beta

Cerca

Vatican News
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República Portuguesa Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República Portuguesa 

Presidente Português destaca “papel crucial das Misericórdias”

Marcelo Rebelo de Sousa presidiu à sessão solene comemorativa dos 500 anos da Santa Casa da Misericórdia de Bragança

Domingos Pinto-Lisboa

O Presidente da República reafirmou em Bragança “o papel na história de Portugal das misericórdias e, mais recentemente, das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS)”.

O chefe de Estado Português falava na cerimónia comemorativa dos 500 anos da Santa Casa da Misericórdia de Bragança que decorreu no passado dia 8 de julho naquela cidade do nordeste transmontano.

Uma sessão que contou com a participação do bispo de Bragança-Miranda, D. José Cordeiro; do presidente da União das Misericórdias Portuguesas, Manuel de Lemos; e do presidente da Câmara Municipal de Bragança, Hernâni Dias.

“É preciso conhecer essa história para compreender quão precária é a ilusão de se poder dispensar instituições, que são seculares, que têm passado, mas têm também presente e futuro. E, algumas vezes, a falta de conhecimento histórico de um ou outro responsável levou a que se concebesse a sociedade portuguesa sem conhecer a história das misericórdias”, alertou Marcelo Rebelo de Sousa.

Marcelo Rebelo de Sousa lembrou o papel das misericórdias e das IPSS nos tempos de crise e questionou: “se não tivessem existido as instituições da chamada economia social quais teriam sido as consequências?”.

Explicar o papel das misericórdias e das IPSS é uma das lutas que o chefe de Estado entende necessária travar associada a outra, que é conseguir que os vários “portugais” sejam menos diferentes entre si”.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, “as misericórdias cumprem aí uma missão fundamental”, assim como as IPSS, contribuindo, na rede que estabelecem, “para esta sensibilidade nacional”.

Ouça e compartilhe!
18 julho 2018, 14:27