Versão Beta

Cerca

Vatican News
A Ordem dos Mínimos está presente hoje em diversos países, como Itália, Espanha, Brasil (casas no Rio de Janeiro, São Paulo, Guarapuava), Estados Unidos (casa em Los Angeles), Colômbia (casa em Medellín), México (casa em Coahila) e estão em andamento planos para a Índia e Ucrânia A Ordem dos Mínimos está presente hoje em diversos países, como Itália, Espanha, Brasil (casas no Rio de Janeiro, São Paulo, Guarapuava), Estados Unidos (casa em Los Angeles), Colômbia (casa em Medellín), México (casa em Coahila) e estão em andamento planos para a Índia e Ucrânia  (ANSA)

Eleito Corretor Geral da Ordem dos Mínimos

A reunião capitular da Ordem fundada por São Francisco de Paula era formada por 27 religiosos provenientes de quatro continentes (Europa, América, Ásia, África). O tema que guiou o encontro foi: "Testemunhas de Cristo na condição de conversão e de êxodo".

Cidade do Vaticano

No dia 12 de julho de 2018, durante o LXXXVI Capítulo Geral da Mínimos, foi eleito o Corretor Geral na pessoa do Rev P. Gregory Colatorti, que ocupava o cargo de Corretor Provincial da Província Monástica de São Francisco.

P. Gregory Colatorti, nascido em Bari em 29 de março de 1951, completou seus estudos filosófico-teológicos em Gênova e uma Licenciatura em Ciências da Educação na Universidade Pontifícia Salesiana de Roma. Ele ocupou vários cargos no campo da formação e da pastoral juvenil.

A reunião capitular da Ordem fundada por São Francisco de Paula era formada por 27 religiosos provenientes de quatro continentes (Europa, América, Ásia, África). O tema que guiou o encontro foi: "Testemunhas de Cristo na condição de conversão e de êxodo".

Os trabalhos da assembleia foram orientados por um amplo Instrumentum laboris, constituído de seis partes: o contexto cultural; o contexto eclesial; a vida religiosa hoje, perscrutar os horizontes e habitar o mundo; o religioso mínimo hoje; reestruturação jurídica, formativa e econômica.

Preciosa foi a contribuição de dois especialistas em vida religiosa, Pe. Sebastiano Paciolla e Ir. Nicla Spezzati.

Os debates, realizados dentro de quatro grupos de estudo, levaram à formulação de uma série de proposições, que irão orientar a vida da Ordem dos Mínimos nos próximos seis anos.

No dia 10 de julho, o cardeal João Braz de Aviz, prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, presidiu a celebração eucarística, expressando o seu aplauso para as temáticas objeto de estudo nestes dias e encorajando a continuar o trabalho de discernimento para uma presença mais eficaz do carisma mínimo no mundo.

A Assembleia procedeu à eleição também do P.  Vigário (P. Leonardo Messina) e outros Padres assistentes (P. Franco Russo, P. Evelio de Jesus Muñoz, P. James D'Orta), que irão colaborar mais estreitamente com o Corretor geral na guia da Ordem.

A Ordem dos Mínimos (O.M.), inicialmente denominados Ermitões de frei Francisco de Paula em referência ao seu fundador, é uma ordem religiosa católica, do tipo mendicante que enfatiza a vocação da humildade. Conforme reflete seu nome, seus membros se consideram os menores dentre as ordens religiosas.

Os mínimos, como outras ordens mendicantes, possui sua vertente de frades, freiras e ordem terceira de leigos. Seu hábito típico consiste em uma túnica negra, com capuz e um pequeno escapular. São cingidos por uma corda, como os franciscanos, mas com quatro nós, representando os quatro votos.

Os mínimos fazem votos de castidade, pobreza e obediência. Porém, o que distingue os mínimos é voto de adesão à vida da quaresma, em latim vita quadragesimalis. Em termos práticos, os mínimos vivem nas regras da quaresma, tradicionalmente evitam carne vermelha e produtos do leite. Como na tradição carmelita e franciscana, os mínimos adotam a prática de serem descalços em sinal de humildade.

Os mínimos fazem votos de castidade, pobreza e obediência. Porém, o que distingue os mínimos é voto de adesão à vida da quaresma, em latim vita quadragesimalis. Em termos práticos, os mínimos vivem nas regras da quaresma, tradicionalmente evitam carne vermelha e produtos do leite. Como na tradição carmelita e franciscana, os mínimos adotam a prática de serem descalços em sinal de humildade.

15 julho 2018, 18:06