Versão Beta

Cerca

Vatican News
D. António José Rafael, bispo emérito da Diocese de Bragança-Miranda, funerais. D. António José Rafael, bispo emérito da Diocese de Bragança-Miranda, funerais.. 

Faleceu D. António José Rafael, bispo emérito da Diocese de Bragança-Miranda

Faleceu neste dia 29 de Julho, em Portugal, D. António José Rafael, bispo emérito da Diocese de Bragança-Miranda. A Missa Exequial foi na tarde desta segunda-feira, 30, na Sé de Bragança.

Domingos Pinto e Dulce Araújo – Cidade do Vaticano

 

A sepultação de D. António José Rafael será no átrio dos Bispos na Catedral, informou a Diocese de Bragança-Miranda, em comunicado enviado à Vatican News.

Transformar dificuldades em oportunidades

Natural de Lamego, onde nasceu em 1925, D. António José Rafael foi auxiliar de Bragança-Miranda, entre 1977 e 1979, e depois bispo residencial da Diocese até 2001, sucedendo-lhe nessa ocasião D. António Montes Moreira e, em 2011, D. José Cordeiro.

No dia 13 de fevereiro de 2017, a Diocese de Bragança-Miranda assinalou os 40 anos de ordenação episcopal de D. António José Rafael.

Nessa ocasião, o atual bispo de Bragança-Miranda. D. José Cordeiro, homenageou um prelado que – disse -  transformou “as dificuldades em oportunidades”.

“Diante do seu estilo frontal, lutador e corajoso ninguém ficou indiferente. Pensava a Europa como um lugar de Paz e de solidariedade olhando ao seu patrono – S. Bento – com o mote ‘ora et labora’”.

Responsável da projeção da nova Catedral de Bragança

Ao longo do seu ministério, o falecido bispo foi responsável pela projeção da nova Catedral de Bragança, que começou a ser construída em 1981.

Uma memória imortalizada em livro, através da obra ‘Na nossa Catedral, para sempre nos encontraremos: D. António José Rafael e Mário Ferreira da Silva’, da autoria de Henrique Manuel Pereira, doutor em Cultura e professor da Escola de Artes (Porto) da Universidade Católica Portuguesa.

A Sé de Bragança foi dedicada a 7 de outubro de 2001, no último ano de D. António José Rafael à frente da diocese transmontana.

Problemas de saúde

Em 2013, D. António Rafael teve um princípio de AVC, tendo sido internado no Hospital de Vila Real e no Hospital da Prelada, da Santa Casa da Misericórdia do Porto.

No ano seguinte regressou à diocese transmontana e foi acolhido pelo Instituto Diocesano do Clero, na Fundação Betânia.

CEP lamenta falecimento de D. António José Rafael

O porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) lamentou  o falecimento de D. António José Rafael, bispo emérito da Diocese de Bragança-Miranda, homenageando os 92 anos “intensamente vividos ao serviço da Igreja”.

“A Conferência Episcopal manifesta sentida comunhão para com D. António José Rafael, neste dia em que o Senhor o chamou para junto de si, depois de 92 anos intensamente vividos ao serviço da Igreja, em particular como pastor da Diocese de Bragança-Miranda”, refere o secretário da CEP, padre Manuel Barbosa numa nota aos jornalistas.

O responsável manifesta ainda “profundo agradecimento” pela dedicação do falecido bispo à Igreja Católica em Portugal, “participando activamente nas comissões e organismos da Conferência Episcopal”.

“Que o seu lema enquanto bispo permaneça na sua paz eterna com Deus, vivida ‘na graça e na verdade por Jesus’ (Jo 1,17)”, conclui o secretário da CEP.

Chefe de Estado presta homenagem ao falecido

O presidente da República Portuguesa lamentou a morte de D. António Rafael, bispo emérito de Bragança-Miranda prestando homenagem a uma “vida longa ao serviço da Igreja, do povo transmontano e dos portugueses”.

“D. António José Rafael, bispo emérito da Diocese de Bragança-Miranda, deixa, também ao Presidente da República que o conhecia desde há muito, memórias perenes de dedicação ao bem comum e na defesa da igualdade entre os cidadãos, cumprindo o Evangelho e sendo um incansável porta-voz da Palavra”, assinala a nota oficial divulgada pela Presidência da República.

Marcelo Rebelo de Sousa República transmite as “mais sentidas condolências” ao seu sucessor, D. José Cordeiro, à Conferência Episcopal Portuguesa e à sua família, “no sangue e na Fé”.

30 julho 2018, 17:15