Versão Beta

Cerca

Vatican News
Nascimento de São João Batista Nascimento de São João Batista   (© Musei Vaticani)

Natividade de São João Batista

A missão de João Batista é a missão de todos: preparar e anunciar a vinda do Senhor!

Cidade do Vaticano

João Batista é o único santo, além da Virgem Maria, de quem a Liturgia celebra o nascimento terreno. Isto se deve, certamente, à sua missão única, que lhe foi confiada na História da Salvação, desde o seio da sua mãe, Isabel. Mais tarde, o próprio Salvador, seu primo, fez-lhe o lindo elogio: “Entre os nascidos de mulher, não há ninguém maior que João...”.


A vida de João Batista não teve origem por iniciativa humana, mas por dom de Deus a seus pais de idade avançada, Zacarias e Isabel,  e, por isso, não podiam mais gerar filhos.

O paralelismo de Lucas, sobre a infância de Jesus e de João Batista, levou a Liturgia a celebrar o nascimento de ambos: o de Jesus, no solstício de inverno, e o de João, no solstício de verão.

A festa do nascimento de João Batista faz-nos refletir sobre o amor de Deus, que prepara o nascimento de João: “Um anjo do Senhor anunciou a Zacarias que sua mulher, idosa e estéril, iria ter um filho, cujo nascimento seria a alegria de muitos”. O nome João significa “Deus dá a graça”. Ele foi enviado para preparar os caminhos do Senhor, o “ano de graça” do Senhor, a vinda de Jesus.

Assim, Deus prepara os tempos e os corações dos homens para receber seus dons. Por isso, devemos ser vigilantes, estar atentos à ação divina em nós, saber discernir os acontecimentos dos tempos. João acreditou e indicou Jesus aos que o seguiam: “Depois de mim, virá alguém maior do que eu… Eis o Cordeiro de Deus!”

A Solenidade da Natividade do Precursor de Jesus é um convite a conhecermos mais a Cristo, que vive na Eucaristia, e darmos seu testemunho, mediante o ardor, o desapego e a generosidade de São João Batista.

A festa da Natividade de João Batista leva-nos a refletir também que ele foi um profeta austero, que pregou a penitência com uma linguagem rígida: “Raça de víboras... produzam frutos dignos de conversão...”. Mas, o profeta exortava a uma penitência, que se tornaria alegria e purificação pela vinda do Senhor. A missão de João Batista é, de certa forma, a missão de todos: preparar e anunciar a vinda do Senhor!

Reflexão dominical

 

23 junho 2018, 15:38