Versão Beta

Cerca

Vatican News
Conflito na RD do Congo já provocou milhares de vítimas e deslocados Conflito na RD do Congo já provocou milhares de vítimas e deslocados  (AFP or licensors)

RDC: bispos lançam apelo para salvar milhares de crianças da fome

Bispos do Kasai denunciam que milhares de crianças sofrem de desnutrição grave, enfatizando que a insegurança e a violência ligadas ao movimento de guerrilha Kamuina Nsapu tem causado uma grave crise humanitária na região. A situação tende a se agravar com a chegada da estação seca.

Cidade do Vaticano

Mais de 770.000 crianças com menos de cinco anos sofrem de desnutrição grave no centro da República Democrática do Congo.

A denúncia é dos bispos do Kasai, que citam as estatísticas publicadas recentemente pelo UNICEF. Os bispos enfatizam que a insegurança e a violência ligadas ao movimento de guerrilha Kamuina Nsapu, tem causado uma grave crise humanitária na região.

As dioceses envolvidas são a Arquidiocese de Kananga e as Dioceses de Luiza, Luebo e uma parte daquela de Mweka. Durante as suas visitas pastorais, os bispos locais constataram pessoalmente o drama humanitário e o grave estado de desnutrição das populações.

"O fenômeno (da desnutrição) é claramente visível nos territórios de Dibaya, Dimbelenge, na própria cidade de Kananga, bem como no território de Kazumba, abrangendo a Diocese de Luiza e Luebo. Em Kananga, várias paróquias recebem as crianças desnutridas", disse Dom Marcel Madila, arcebispo de Kananga.

O prelado lançou um apelo pedindo "uma intervenção urgente e massiva, porque está começando um período difícil, a estação seca. Se as crianças não forem assistidas agora, existe o risco de haver milhares de mortes".

O Focal Point de Kasai da Caritas Congo, está trabalhando em conjunto com as 8 Caritas diocesanas da Província eclesiástica de Kananga, para preparar um plano de resposta para esta crise, cujos efeitos serão provavelmente piores do que a epidemia de Ebola.

"A desnutrição está destinada a agravar-se com o início da estação seca, período em que geralmente há uma escassez de alimentos nas famílias", afirmou Emmanuel Mbuna, coordenador nacional do Departamento de emergência da Caritas Congo.

Kamuina Nsapu é um líder tradicional do território de Dibaya, a 75 km a sudeste de Kananga, a capital de Kasai Central, morto em 12 de agosto de 2016, durante uma operação militar realizada pelas forças de segurança.

Seus seguidores se organizaram em milícias e passaram a atacar não apenas os militares, mas também a população civil. A revolta também se espalhou rapidamente para várias outras províncias vizinhas, como o Kasai Oriental, Kasai e Lomami, fazendo com que os habitantes de várias aldeias fugissem.

(Agência Fides)

Apelo dos bispos da RDC
27 junho 2018, 13:08