Versão Beta

Cerca

Vatican News
A educação para a paz foi descrita como um processo de promoção de conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias para realizar mudanças comportamentais que permitam às pessoas prevenir conflitos e violência nos locais onde convivem A educação para a paz foi descrita como um processo de promoção de conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias para realizar mudanças comportamentais que permitam às pessoas prevenir conflitos e violência nos locais onde convivem  (AFP or licensors)

Papel dos professores é decisivo para a paz e a convivência, diz bispo paquistanês

O principal objetivo do Seminário "Os professores como educadores paz ", organizado em Lahore, noPaquistão, era promover a paz e a harmonia na sociedade, introduzindo a cultura de paz nas escolas, universidades e outras instituições acadêmicas.

Cidade do Vaticano

"Os professores das escolas desempenham um papel fundamental na promoção da paz no Paquistão; devemos oferecer-lhes a oportunidade de aprender mais e encorajá-los a continuar a ser educadores de paz: é extremamente necessário para ter uma paz duradoura e sustentável na sociedade, aceitar-se mutuamente e promover a tolerância".

Foi o que defendeu Dom Sebastian Francis Shaw, arcebispo de Lahore e presidente da Comissão Nacional para o Diálogo Inter-religioso e o Ecumenismo (NCIDE) da Conferência Episcopal do Paquistão, durante um workshop realizado recentemente em Lahore, intitulado "Os professores como educadores paz ".

Promover a paz e a harmonia na sociedade

 

Cerca de 40 professores de 9 escolas diferentes de Lahore participaram do seminário na Escola St. Mary, em Lahore. O principal objetivo do encontro era promover a paz e a harmonia na sociedade, introduzindo a cultura de paz nas escolas, universidades e outras instituições acadêmicas, como explicou à Agência Fides Francis Nadeem, secretário executivo do NCIDE.

Ademais, o objetivo também era o de desenvolver uma compreensão de valores humanos comuns que favoreçam a tolerância, a aceitação mútua e a coexistência pacífica.

Resolução pacífica do conflito

 

Houve uma grande interação e os participantes foram ativamente envolvidos em várias atividades para aprender os conceitos de educação para a paz. No primeiro dia, os presentes falaram sobre a educação para a paz e sua urgência no atual contexto do Paquistão.

A educação para a paz foi descrita como um processo de promoção de conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias para realizar mudanças comportamentais que permitam às crianças, jovens e adultos prevenir conflitos e violência no lar, nas escolas e no local de trabalho. Falou-se de uma resolução pacífica do conflito e de como criar as condições favoráveis à paz.

Coexistência, respeito e tolerância

 

Os conceitos de interconfessionalidade, harmonia e diversidade emergiram, porque todas as religiões enfatizam a paz, a coexistência, o respeito, a tolerância, foi afirmado. O conceito de diálogo inter-religioso e de seus quatro níveis também foi declinado: diálogo de intercâmbio teológico; diálogo de troca de experiências religiosas; diálogo de ação e diálogo da vida cotidiana.

O seminário procurou integrar a educação para a paz nas várias disciplinas do currículo escolar existente.

Habilidades necessárias

 

Até mesmo o líder muçulmano Maulana Muhammad Asim Makhdoom foi convidado como participante de honra. Ele apreciou o compromisso da NCIDE em promover a paz através da educação e de dotar os professores com as habilidades necessárias para tal. Ele afirmou ainda que no futuro, professores de "madrasas" (escolas islâmicas) e escolas privadas poderão participar de seminários similares para promover a paz que - segundo ele - deveriam ser organizados em outras partes do país.

Eliminar todas as formas de violência

 

O padre Nadeem disse à Fides na conclusão, que "para eliminar todas as formas de violência na sociedade, é responsabilidade primária dos professores propor esses valores de paz aos alunos através do ensino dos currículos escolares e envolvendo-os ativamente". (Agência Fides)
 

26 junho 2018, 16:19