Cerca

Vatican News
Beata Irmã Maria Crucificada do Amor Divino Beata Irmã Maria Crucificada do Amor Divino 

Beatificada, em Nápoles, Irmã Maria Crucificada do Amor Divino

Beatificação de Irmã Gargani, fundadora das Apóstolas do Coração de Jesus, cujo carisma é o apostolado paroquial, catequese, difusão da boa imprensa, e criação de escolas para crianças e jovens.

Cidade do Vaticano

O Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, presidiu, em nome do Papa, na manhã deste sábado (02/6), na Catedral de Nápoles, à Beatificação da Irmã Maria Crucificada do Amor Divino, Fundadora das Apóstolas do Sagrado Coração.

Filha espiritual de São Padre Pio de Pietrelcina

Maria Gargani, nome de batismo, nasceu em 23 de dezembro de 1892, em Morra Irpino, província italiana de Avelino, e faleceu em Nápoles em 23 de maio de 1973.

Maria Gargani consagrou sua vida ao apostolado, especialmente nos lugares mais desfavorecidos, sem assistência religiosa, cultural e social, despertando a admiração dos párocos. Entrou para a "Mística Betânia", uma Comunidade de consagradas do mosteiro Capuchinho, que queriam atingir a perfeição, sob a orientação do Padre Agostinho de São Marco in Lamis. Na época, este sacerdote também era diretor espiritual do Padre Pio da Pietrelcina.

Em 1915, Maria Gargani foi apresentada ao Padre Pio, quando de sua visita ao mosteiro dos Capuchinhos, que a acolheu entre suas filhas espirituais. Padre Pio a aconselhou a não entrar logo para uma Ordem religiosa, onde queria realizar seu sonho de consagrada, pedindo-lhe para esperar e discernir melhor a vontade de Deus.

No entanto, a professora Gargani aumenta as suas atividades: faz parte da Ação Católica, da Terceira Ordem Franciscana, organiza a Obra do Sagrado Coração pelas Vocações Pobres do seminário de Lucera, sempre orientada e acompanhada pelo Padre Pio.

Com o passar do tempo, vendo que havia chegado a sua hora, Maria Gargani confiou ao Padre Pio a sua intenção de fundar um novo Instituto, com o intuito de trabalhar naqueles centros habitados, que não contavam com a assistência de sacerdotes. Então, Padre Pio lhe respondeu: "É aqui que, finalmente, devíamos chegar: esta é a vontade de Deus!

Assim, em 1934, com a autorização do Bispo de Lucera, Maria Gargani foi morar, com algumas companheiras, no antigo convento de Santa Maria da Saúde, em Appula. A Congregação das Apóstolas do Sagrado Coração recebeu a aprovação eclesiástica em 21 de abril de 1936.

Entre 1936 e 1944, a fundadora, que ao fazer sua profissão religiosa recebeu o nome de Maria Crucificada do Amor Divino, definiu o carisma da Congregação: apostolado paroquial, catequese, difusão da boa imprensa, criação de escolas para crianças e jovens.

As vocações começam a aumentar, de tal forma que a fundadora transferiu, em 1946, a sede da Pia Sociedade das Apóstolas do Sagrado Coração para Nápoles, de onde se espalhou para outras regiões italianas, chegando até à África.

Madre Maria Crucificada Gargani faleceu em Nápoles, em 23 de maio de 1973, aos 81 anos. 

02 junho 2018, 19:10