Versão Beta

Cerca

VaticanNews
Patriarca de Babilônia dos Caldeus Louis Raphael Sako Patriarca de Babilônia dos Caldeus Louis Raphael Sako 

Iraque Patriarca Sako: "Obrigado ao Papa Francisco pelo gesto da Lamborghini"

“O Papa nunca deixa de demonstrar sua proximidade para com os cristãos iraquianos”, disse o patriarca que atualmente se encontra em Erbil.

Silvonei José - Cidade do Vaticano

“Somos muito gratos por este gesto paterno do Papa Francisco. O Pontífice é o pai de toda a Igreja e pensa em todos, especialmente naqueles que como nós sofrem”. Este é o comentário do patriarca caldeu da Babilônia Raphael Louis I Sako à notícia de que o número único da Lamborghini Huracan, doada ao Pontífice pela montadora em 15 de novembro passado, foi leiloado em 12 de maio pela soma de 715 mil euros. Segundo o desejo do Santo Padre, todo o montante arrecadado será doado em beneficência e uma grande parte do total irá para a organização Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) para apoiar o plano de reconstrução dos vilarejos cristãos da Planície de Nínive no Iraque.

“O Papa nunca deixa de demonstrar sua proximidade para com os cristãos iraquianos”, disse o patriarca que atualmente se encontra em Erbil. “Esta doação nos dá muita esperança e é um grande incentivo! É importante para nós permanecermos, continuarmos nossa vida no Iraque e testemunharmos aqui nossa fé e os valores do Evangelho”.

O Plano de AIS para a reconstrução dos vilarejos cristãos da Planície de Nínive permitiu que muitos cristãos voltassem às suas casas. Até o último dia 25 de março as famílias que tinham retornado à Planície eram 8.213, mais de 42% das 19.452 forçadas a fugir por causa da invasão do Estado islâmico em agosto de 2014.

“Com a doação do Papa, poderemos fazer mais ainda”, desta Ajuda à Igreja que Sofre em um comunicado. “Agradecemos de coração o Santo Padre, e ao mesmo tempo pedimos a todos que podem ajudar, mesmo com pouco, para apoiarem os cristãos de Nínive que representam as raízes da nossa fé”.

Em 12 de maio, quando se realizava o leilão da Lamborghini, no Iraque estavam em andamento as eleições parlamentares. Os resultados ainda não são definitivos, mas as projeções veem como próximo primeiro-ministro o clérigo xiita Moqtada al-Sadr. “Al Sadr sempre se demonstrou bem disposto em relação às minorias, mas no caso vencesse, devermos esperar para ver com quem formará uma coalizão. A afluência às urnas foi muito baixa porque os iraquianos perderam a confiança na classe política. Faltam projetos e programas concretos e a corrupção é desenfreada. No momento há confusão, mas esperamos que a nova classe política possa fazer o bem e acima de tudo unir um país extremamente dividido como o Iraque”, lê-se ainda no comunicado.

Desde o início da avançada do chamado Estado Islâmico em junho de 2014, a Ajuda à Igreja que Sofre tem apoiado projetos emergenciais e humanitários no Iraque num total de mais de 37 milhões de euros. A Fundação é a primeira associação na Planície de Nínive no que diz respeito a entidades de ajudas.

Ouça a reportagem
15 maio 2018, 15:03