Cerca

Vatican News
Procissão da Sexta-feira Santa em Chennai, Índia Procissão da Sexta-feira Santa em Chennai, Índia  (AFP or licensors)

Na Páscoa, registradas violências anticristãs no Estado de Orissa

O Estado indiano de Orissa voltou a ser palco de atos hostis contra a comunidade cristã, muito provavelmente por parte de grupos extremistas hinduístas. Duas paróquias foram atacadas no domingo de Páscoa.

Cidade do Vaticano

Duas paróquias da Diocese de Rourkela, no Estado indiano de Orissa, foram atacadas no domingo de Páscoa.

No povoado de Bihabandh - relata a agência de notícias Asiaews - alguns criminosos incendiaram uma antiga câmara adjacente à sacristia e usada como depósito para objetos sagrados.

Na paróquia de Salangabahal, a pouca distância do primeiro povoado, os criminosos devastaram a gruta de Nossa Senhora colocada ao lado da entrada, sumindo com a estátua da Virgem e quebrando a do Menino Jesus.

O bispo da diocese, Dom Kishor Kumar Kujur, denunciou à Asianews que "foi um ataque premeditado e planejado. Ambos os incidentes ocorreram durante a noite, aproximadamente ao mesmo tempo. As paróquias estão a 7-8 km uma da outra. Este é o trabalho do mesmo grupo, que é contra a comunidade cristã ".

Arcebispo de Cuttack-Bhubaneshwar: basta com as violências que ofendem o sentimento religioso dos cristãos

 

O incidente assume uma importância particular, tanto porque ocorreu durante o tempo sagrado do Tríduo Pascal, como porque aconteceu em Orissa, palco em 2008 da mais feroz perseguição anticristã perpetrada por grupos de radicais hinduístas.

Dom John Barwa, arcebispo de Cuttack-Bhubaneshwar, lamenta: "Não esperávamos tal ataque em um país secular. Esses episódios de profanação que ofendem nosso sentimento religioso devem terminar ".

Há 10 anos, a violência em Kandhamal

 

O arcebispo recorda que "este ano marca o décimo aniversário da violência de Kandhamal [o distrito mais afetado pela ferocidade hinduísta, ndr].

Toda a população da Índia pode e deve fazer um esforço comum para permitir que o país progrida em tempo hábil, apoiando as exigências seculares da Índia".

"A liberdade religiosa - continua ele - e de professar em liberdade a própria crença, devem ser respeitadas e defendidas. A dignidade humana e a justiça devem prevalecer, mesmo nas áreas rurais mais pequenas e mais remotas da Índia. Este tipo de incidente só traz vergonha e desgraça ao nosso país. Isso não pode continuar".

O prelado informa que durante a cerimônia da Sexta-Feira Santa "mais de 15 mil pessoas participaram do serviço litúrgico. A devoção e solenidade eram palpáveis. Satanás é muito ciumento em ver que a fé do nosso povo se torna sempre mais forte ".
 

03 abril 2018, 12:12