Cerca

Vatican News
"Ano da Missão": celebrar a fé e levar a um alegre anúncio àqueles que não conhecem Cristo "Ano da Missão": celebrar a fé e levar a um alegre anúncio àqueles que não conhecem Cristo 

Ano jubilar celebra 500 anos de evangelização de Bangladesh

Chittagong desempenhou um papel significativo para o florescimento do cristianismo em Bangladesh. Nela desembarcaram em 1517 os comerciantes cristãos portugueses e os primeiros evangelizadores do Golfo de Bengala.

Cidade do Vaticano

A comunidade católica de Chittagong, arquidiocese do sudeste de Bangladesh, vive neste 2018 o “Ano da Missão”, para recordar os 500 anos da chegada do Evangelho ao país do centro-sul da Ásia e celebrar o Ano jubilar.

Mais de 600 cristãos martirizados no Séc. XVII

Segundo a Igreja local, o “Ano da Missão” envolve as 11 paróquias da arquidiocese, nas quais se organizam iniciativas de oração, catequese e caridade “para celebrar a fé e levar a um alegre anúncio àqueles que não conhecem Cristo”.

Evangelizadores da primeira hora

Os fiéis recordam a contribuição dos primeiros missionários, Pe. Francisco Fernández e Pe. Dominic D’Souza, os primeiros a se estabelecer na área de Chittagong no final do Séc. XVI. Em cinco séculos “a nossa Igreja foi abençoada com o serviço de 18 bispos, centenas de homens e mulheres de 27 ordens religiosas e muitos leigos missionários e catequistas”, recorda o arcebispo Moses M. Costa.

“A história da Igreja local conta mais de 600 cristãos martirizados no Séc. XVII e hoje os fiéis reevocam a experiência deles, reconhecendo-se Filhos daquele sacrifício.”

Para a ocasião, o prelado escreveu uma Carta pastoral a todas as paróquias convidando os fiéis “à renovação da fé” e indicando seis prioridades pastorais: catecismo e confirmação da fé; educação e cultura; desenvolvimento organizativo; sustentabilidade econômica; serviços de saúde e evangelização.

Ser Igreja viva, participativa e nova

“Nossa fé em Cristo é um precioso dom de Deus que chegou até nós através dos missionários. Devemos acolher essa herança de modo a poder celebrar nossa riqueza de fé e tornar-nos uma Igreja viva, participativa e nova”, escreve Dom Costa.

Nestes dias a Igreja local celebra o catequista Robi Christopher D’Costa – morto em sua residência em janeiro passado – como fúlgido exemplo de compromisso missionário. D’Costa realizou o serviço de  catequista em Chittagong, dedicando-se durante 33 anos à evangelização, à formação catequética e bíblica do clero, dos religiosos e dos leigos, indo muitas vezes a vilarejos isolados e a áreas remotas.

Em 1517 chegada de cristãos portugueses e primeiros evangelizadores do Golfo de Bengala

Chittagong desempenhou um papel significativo para o florescimento do cristianismo em Bangladesh. Aí desembarcaram em 1517 os comerciantes cristãos portugueses e os primeiros evangelizadores do Golfo de Bengala.

Em 1845 foi instituído em Chittagong o primeiro Vicariato de Bengala oriental; já a Diocese de Chittagong foi criada em 1950 e elevada a Arquidiocese em 2017. Hoje, numa população de 19,5 milhões de habitantes, os católicos são cerca de 30 mil, assistidos por 22 sacerdotes, entre diocesanos e religiosos.

(Agência Fides)

01 março 2018, 19:32