Versão Beta

Cerca

Vatican News
Iniciativa da Ajuda à Igreja que Sofre chama a atenção para perseguições religiosas Iniciativa da Ajuda à Igreja que Sofre chama a atenção para perseguições religiosas 

Iluminação de monumentos em Roma, Mosul e Aleppo pela liberdade de religião

No dia 24 de fevereiro serão iluminados três monumentos em Roma, Mosul no Iraque e Aleppo na Síria, com o objetivo de promover a liberdade de fé, um drama ainda desconhecido para muitos e não raro ignorado pelos meios de comunicação.

Cidade do Vaticano

Três importantes monumentos, em três cidades de três países diferentes, serão iluminados de vermelho contemporaneamente no sábado, 24 de fevereiro: Roma, Mosul no Iraque e Aleppo na Síria.

O objetivo é promover a liberdade de fé, pois a falta dela é um drama que muitos desconhecem e não raro é um fato ignorado pelos meios de comunicação.

O evento – promovido pela Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre  (AIS) – contará com a participação dos mais altos representantes da Igreja Católica e de instituições italianas e europeias. Pessoas que sofreram perseguições por causa de sua fé contarão suas histórias.

Em 22 de novembro passado, o Parlamento e a Catedral de Westminster em Londres, além de dezenas de igrejas, catedrais e escolas britânicas foram iluminadas de vermelho no âmbito da iniciativa denominada Red Wednesday.

Em recordação ao martírio,  também foram iluminados no passado importantes monumentos, como a Fontana di Trevi, em Roma, o Cristo Redentor no Rio de Janeiro, a Basílica do Sagrado Coração em Paris e a Catedral de Manila, nas Filipinas.

Campanha mundial de sensibilização

 

Tem continuidade também este ano, portanto, a campanha mundial de sensibilização da Fundação Pontifícia, com a realização de eventos públicos de grande impacto, com o objetivo de demonstrar solidariedade pelas minorias religiosas perseguidas no mundo e ao mesmo tempo chamar a atenção para este trágico “fenômeno”.

O programa da iniciativa será apresentado ao meio-dia da quarta-feira, 7 de fevereiro, na sede da AIS-Itália, na presença do Patriarca de Babilônia dos Caldeus, Louis Raphaël I Sako, do vice-pároco da Igreja de São Francisco em Aleppo, o franciscano padre Firas Lutfi, do presidente  e diretor da AIS-Itália, respectivamente  Alfredo Mantovano e Alessandro Monteduro.

Iniciativa é da Ajuda à Igreja que Sofre

 

 

06 fevereiro 2018, 11:54