Versão Beta

Cerca

Vatican News
Eugenio da Fonseca, Presidente da Caritas Portugal Eugenio da Fonseca, Presidente da Caritas Portugal 

Cáritas Portuguesa: “Os jovens na Europa precisam de futuro”

A Cáritas, no âmbito da sua Semana Nacional, apresenta um documento que aponta cinco recomendações em defesa das novas gerações. Para encontrar soluções para o desemprego e precariedade.

Rui Saraiva – Porto

A Caritas Portuguesa apresenta nesta terça-feira, dia 27 de fevereiro, o relatório “Os jovens na Europa precisam de um futuro”. Segundo a Agência Ecclesia nesse documento são apontadas “cinco recomendações em defesa das novas gerações”. Estes dados foram compilados após a análise de situações e testemunhos reais que tiveram lugar na atuação da Cáritas. Em particular, no atendimento direto a quem procura esta organização católica.

A Agência Ecclesia revela que neste relatório da Cáritas Portuguesa são revelados casos como o de “um jovem que ‘procura emprego há dois anos para começar uma vida independente’, outra jovem que ‘durante dez anos tem trabalhos precários’ ou uma jovem estudante de Medicina em Coimbra, longe de casa, com ‘dificuldades para pagar as propinas, alojamento e transportes públicos’.” Estes e outros testemunhos tiveram a intervenção e o apoio da Cáritas e permitem agora ser exemplo para analisar a “situação social dos jovens portugueses”.

O desemprego jovem é o grande problema da maioria das famílias e isso é realçado neste relatório da Cáritas. No entanto, os elevados custos com a educação, a precariedade do emprego e os custos elevados com a habitação, quer na compra quer no arrendamento, são outros problemas que afligem os jovens portugueses que têm entre 18 e 29 anos.

Este relatório da Cáritas revela que a população juvenil em Portugal é cerca de 1 milhão e 700 mil, dos quais 20% estão em situação de desemprego, sendo que 29,4% estão em risco de pobreza.

Segundo este documento da Cáritas Portuguesa, citado pela Agência Ecclesia, são estas as cinco recomendações apresentadas pelo estudo: “Promover níveis salariais dignos, incluindo medidas para a criação de emprego e alargar a proteção social em caso de desemprego; prevenir a precariedade laboral; conceder oportunidades iguais no acesso à educação e prosseguimento dos estudos. Facilitar a habitação a preços acessíveis, visando uma vida independente e desenvolver uma estratégia nacional para promover a participação cívica dos jovens”.

Este relatório da Cáritas Portuguesa insere-se na Semana Nacional da Cáritas que decorre até ao domingo, 4 de março, da qual se destaca o peditório nacional que é a principal fonte de receita para a grande ação de solidariedade desenvolvida em todo o país pelas Cáritas Diocesanas.

ouça a reportagem1
27 fevereiro 2018, 14:02