Cerca

Vatican News
Manifestação contra violência às mulheres Manifestação contra violência às mulheres  (AFP or licensors)

Igreja na Nicarágua: combater violência contra a mulher

Arcebispo de Manágua pediu um maior compromisso das instituições no combate à violência contra a mulher

Cidade do Vaticano

A Igreja Católica na Nicarágua fez um apelo em prol de maiores esforços contra o assassinato de mulheres no país. 

O Arcebispo de Manágua, Cardeal Leopoldo José Brenes Solórzano, durante a missa tradicional de início do ano, pediu aos milhares de católicos que participaram da celebração eucarística, para que em 2018, seja feito mais em defesa da vida. 

Nicarágua: combater violência contra a mulher

“Desejo que nenhuma mulher seja abusada, espancada ou assassinada pelo seu parceiro ou qualquer outra pessoa”, disse o purpurado na homilia, segundo o jornal da Santa Sé, L'Osservatore Romano. 

Em 2017, cinquenta e uma mulheres foram assassinadas na Nicarágua. E no início deste ano, uma mulher foi assassinada em San José de Bocay.

“Que este ano, trabalhemos mais para que as mulheres sejam respeitadas”, sublinhou Dom Brenes Solórzano, convidando as mulheres a ficarem atentas ao escolherem um companheiro e a não dar uma segunda chance a homens violentos. 

“Se um homem é ofensivo, bate em você ou é ciumento, você deve deixá-lo”, disse o purpurado. 

“Existem casos em que a Polícia prende o homem e depois a mulher pede para soltá-lo. Uma mulher deve estar consciente de que se o marido é violento deve ser punido”, sublinhou. 

O cardeal pediu um maior compromisso das instituições no combate à violência contra a mulher. 

 

 

04 janeiro 2018, 09:06