Busca

Vatican News
D. Diamantino Guapo Antunes, Bispo de Tete (Moçambique), e a Comissão de postulação dos mártires de Chapotera D. Diamantino Guapo Antunes, Bispo de Tete (Moçambique), e a Comissão de postulação dos mártires de Chapotera 

Moçambique. Diocese de Tete inicia processo de beatificação dos mártires de Chapotera

Trata-se dos Padres Sílvio Moreira, português, e João de Deus Kamtedza, moçambicano, de 44 e 54 anos respetivamente, missionários jesuítas, assassinados em outubro 1985 na Missão de Chapotera, na Província de Tete (Centro de Moçambique).

Por: Rogério Maduca. Radio Pax – Beira, Moçambique

Na expectativa de que estes sejam proclamados Santos futuramente, a Diocese de Tete deu início na noite do passado dia 20 de novembro, ao processo de beatificação dos servos de Deus mortos em Chapotera, uma cerimónia que teve lugar no Santuário Diocesano Imaculada Conceição e dirigida pelo Bispo de Tete D. Diamantino Guapo Antunes, este que explicou aos presentes sobre o processo iniciado com vista a comprovação da causa da sua morte.

Oiça aqui a reportagem e partilhe

Durante o evento foi apresentado o Padre Giancarlo Sandro Faedi - Missionário da Consolata - como postulador Diocesano da Causa dos mártires de Chapotera. O Sacerdote caracterizou os servos de Deus, como mártires da Fé, por terem sido o amparo e defensores das vítimas da guerra e da opressão.

Presente na cerimónia, o sócio do Provincial dos Jesuítas para a Região da África Austral, Padre Virgílio Costa, partilhou o sentimento de alegria e gratidão dos membros da Companhia de Jesus, pela abertura da causa de beatificação e canonização dos Sacerdotes Jesuítas.

Para dar início ao inquérito diocesano, Dom Diamantino constituiu um Tribunal de instrução do processo, presidido pelo Padre Vital Conala, o juiz delegado, tendo como promotor de justiça o Pe. José Codiasse, e um notário composto pelos Padres Angelino Augusto e Afonso Mucane. Esta Comissão comprometeu-se a fazer o trabalho respeitando as normas da Igreja, e a primeira sessão de interrogatório das testemunhas está marcada para janeiro de 2022.

A abertura do processo de beatificação e canonização dos mártires de Chapotera, foi marcada pela peregrinação ao Santuário diocesano, onde também foram ordenados dois diáconos e três sacerdotes diocesanos.

Refira-se que para além do passo dado para a beatificação dos Sacerdotes Jesuítas - mártires de Chapotera, também está em curso em Moçambique o processo de beatificação dos mártires de Guiúa, este último que já se encontra na fase Romana.

26 novembro 2021, 16:08