Busca

Vatican News
D. Ildo Augusto dos Santos Lopes Fortes, Bispo de Mindelo D. Ildo Augusto dos Santos Lopes Fortes, Bispo de Mindelo  

Comunhão e missionação continuam a orientar a Diocese de Mindelo

Bispo de Mindelo publica Carta pastoral já com vista nas comemorações do vigésimo aniversário da Diocese em 2024. Intitula-se “Igreja Casa e Escola de Comunhão, Viva e Missionária”

Dulce Araújo - Vaticannews

A Diocese cabo-verdiana de Mindelo fará 20 anos de vida em 2024. Com vista nesta importante efeméride e na linha de continuidade com o lema que tem orientado a vida na Diocese desde a sua criação, D. Ildo Fortes publicou a 28 de agosto findo a Carta Pastoral para o ano 2021-2022. Intitula-se “Igreja Casa e Escola de Comunhão, Viva e Missionária”, e é também o lema para o triénio 2021-2024. Este tema vem acompanhando a Diocese desde a sua criação – faz notar D. Ildo Fortes que diz ter acrescentado a tónica missionária “que é aquilo para onde aponta a Igreja toda neste século XXI.”

Espiritualidade, princípio educativo

No que toca ao primeiro aspeto, D. Ildo Fortes salienta - apoiaindo-se na Carta Apostólica jubilar Novo Milennio Ineunte, de João Paulo II -  que a espiritualidade da comunhão deve tornar-se num princípio educativo em todos os lugares onde se plasma o homem e o cristão, onde se educam os ministros do altar, os consagrados, os agentes pastorais, onde se encontram famílias e comunidades e deve, por conseguinte, preceder a programação de qualquer atividade concreta.

A espiritualidade de comunhão – assegura o Bispo de Mindelo – tem marcado os planos pastorais da Diocese e significa, em primeiro lugar, ter o olhar do coração voltado para Deus Trindade – mistério de amor, que habita em nós e reflete-se no rosto dos irmãos. Significa sentir o irmão como “um que faz parte de mim", para saber partilhar as suas alegrias, os seus sofrimentos e anseios, oferecer-lhe a minha amizade e ajudar-lhe a satisfazer as suas necessidades.

Palavras devem traduzir-se em gestos de amor

As palavras devem traduzir-se em gestos de solidariedade e de amor. O amor é capaz de criar e imaginar novos caminhos, novas ações, novas realidades e novas relações – explica D. Ildo. O prelado exprime o desejo de que haja firmeza para rejeitar as tentações e acédias egoístas que, de uma maneira ou de outra, nos insidiam, porque sem este esforço sincero de viver em comunhão, de pouco servirão os instrumentos exteriores da comunhão.

As estruturas são espaços de comunhão e devem ser expressão dos laços de comunhão entre o bispo, presbíteros e diáconos, entre os Pastores e o conjunto do povo de Deus, entre o clero e os religiosos, entre associações, grupos e movimentos eclesiais - recorda o bispo que, na abertura da Carta elenca várias estruturas e iniciativas promovidas nos últimos tempos, não obstante as dificuldades ligadas à pandemia, e que tiveram como fio condutor a família, a formação cristã e a “fantasia da caridade”. Uma delas foi, por exemplo, a consolidação da Escola de Formação Cristã para Leigos.

Dimensão missionária

D. Ildo Fortes recorda ainda que à dimensão da comunhão associa-se a dimensão missionária, tarefa prioritária da comunidade cristã. E ao caminhar para o seu 20º aniversário, a Diocese de Mindelo quer pôr a tónica nisso, mesmo que comporte desafios. A crise pandémica converte-se - sublinha D. Ildo - numa grande oportunidade de evangelização, pois mais do que nunca é preciso coragem para viver e essa coragem, essa luz vem de Cristo, caminho, verdade e vida ontem e hoje, em toda e qualquer circunstância.

Organização do triénio

Com este pano de fundo, o triénio será então assim organizado – anuncia o bispo:

1 (2021-22) – Igreja Casa e Escola de Comunhão. A identidade laical e a «fantasia da caridade»

2 (2022-23) – Comunidade lugar de pertença e vivência da fé. Cultura vocacional

3 (2023-24) – A Igreja em Missão. Celebração do jubileu dos 20 anos da Diocese. Memória e esperança.

Assembleia diocesana e Congresso Eucarístico

O triénio deverá concluir-se com a realização de uma grande assembleia diocesana a ser preparada com a participação de todas as comunidades e estruturas diocesanas.  Para esse efeito já foi construída uma comissão. Prevê-se igualmente - escreve D. Ildo Fortes - a realização de um Congresso Eucarístico até 2024. Na programação pastoral terá um lugar privilegiado o apoio aos jovens com vista também na JMJ de 2023. O mesmo acontece com as famílias para que algumas possam participar no X Encontro Mundial das Família a ter lugar em Roma em 2022.

Outro grande evento ao qual se associa a Diocese de Mindelo é a preparação para os 500 anos da Diocese de Santiago de Cabo Verde que será em 2023, ano em que a Diocese de Mindelo estará pelos seus 30 anos – anuncia D. Ildo Fortes, que acrescenta: "É com estas intenções e propostas gizadas no último encontro diocesano dos agentes da pastoral e com a plena consciência que o Espírito Santo faz caminho connosco, que vamos entrar no novo ano pastoral." 

03 setembro 2021, 16:31