Busca

Vatican News
Bandeiras da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) Bandeiras da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) 

Angola. CPLP realiza cimeira em Luanda no dia em que celebra 25 anos de existência

Desde sábado (17 de julho) que Angola preside, de forma rotativa, a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), numa altura em que a Organização comemora 25 anos de existência. Um dos desafios da presidência, confirmam fontes locais, é a efectivação da mobilidade entre os países membros.

Anastácio Sasembele – Luanda, Angola

Em plena pandemia da Covid-19, Angola assumiu a presidência rotativa da CPLP com o desejo de ver destacado o pilar económico e dar continuidade aos esforços conjuntos para tornar realidade a livre circulação de cidadãos e de bens na Comunidade.

Oiça aquia reportagem e partilhe

“Somos uma força política e cultural a considerar, podemos ser também uma força económica relevante se trabalharmos para isso. No âmbito da busca de mecanismos de financiamento, deixamos aqui o desafio de se começar a pensar na pertinência e viabilidade, ainda que remota, da criação de um Banco de Investimentos da CPLP”, afirmou João Lourenço no discurso de encerramento da cimeira da comunidade lusófona.

O Presidente angolano ao falar sobre o acordo da mobilidade assinado nesta cimeira disse ser “decisiva para uma maior aproximação entre os nossos povos, para a cooperação económica, para o enriquecimento da língua portuguesa e para um maior intercâmbio cultural e turístico.  Isso permitirá que milhões de cidadãos dos nossos Países beneficiem de forma concreta dos ganhos e vantagens da pertença a uma Comunidade que se expande por Países de quatro Continentes, com formas próprias de vida e de expressão cultural e artística”, considerou.

Para António Costa, primeiro-ministro português presente na cimeira, o acordo de mobilidade vai proporcionar de uma vez por todas, criar um verdadeiro pilar de cidadania no quadro da CPLP, permitindo facilitar a circulação entre todos os Estados-membros, assim como o reconhecimento das formações académicas entre outras facilidades.

E o novo Secretário Executivo da CPLP, o timorense Zacarias Albano da Costa, disse que o seu mandato de dois anos será, o de assegurar que toda a actuação da Comunidade seja guiada pelo objectivo de criar impactos positivos, concretos e duradouros na vida dos cidadãos da CPLP.

A CPLP realizou a sua Cimeira, em Luanda no dia em que celebrou 25 anos de existência, e elegeu por dois anos o Chefe de Estado angolano João Lourenço como presidente da organização.  

22 julho 2021, 13:47