Busca

Vatican News
D. João Carlos Hatoa Nunes, Bispo de Chimoio (Moçambique) e porta-voz da CEM D. João Carlos Hatoa Nunes, Bispo de Chimoio (Moçambique) e porta-voz da CEM 

Moçambique: D. João Carlos exorta à solidariedade de todos por Cabo Delgado

O Responsável pelo Departamento da Comunicação Social, na Conferência Episcopal de Moçambique (CEM), Dom João Carlos Hatoa Nunes, falando ao Vatican News, afirma que a situação do terrorismo em Cabo delgado, norte do País, que já fez mais de dois mil mortos e cerca de 700 mil deslocados, deve merecer a solidariedade e sensibilidade de todos.

Hermínio José – Maputo, Moçambique

Dom João Carlos, porta-voz dos da Conferência Episcopal de Moçambique é igualmente Bispo da Diocese de Chimoio, na Província de Manica, no centro do País. O prelado descreve o quadro do triste cenário vivido em Cabo Delgado, devido à crise humanitária.

“Ajudemos o quanto podemos”, D. João Carlos

Dom João Carlos diz que uma das formas de nos mostrarmos solidários ao povo de Cabo Delgado é fazermos tudo quanto podemos, para aliviar o sofrimento daquelas populações que vivem no desespero e na incerteza.

Bispo de Chimoio e porta-voz da CEM, Dom João Carlos, compulsando ao Vatican News, sobre a situação degradante dos milhares de deslocados em Cabo Delgado, facto que resvalou numa crise humanitária, sem precedentes.

Vive-se relativa calmia em Cabo Delgado

De referir que nos últimos tempos, do ponto de vista da segurança, vive-se um ambiente de relativa calmia nas zonas sistematicamente atacadas pelos terroristas. As Forças de Defesa e Segurança de forma astuta procuram a todo o custo debelar os insurgentes e seus líderes. E o Governo avança que em breve as populações deslocadas poderão voltar às suas zonas de origem, havendo já condições de segurança para o efeito.

Oiça aquia reportagem e partilhe
15 março 2021, 09:48