Busca

Vatican News
D. Adriano Langa, durante a Missa na igreja de S. João Baptista de Morrumbene (Moçambique), D. Adriano Langa, durante a Missa na igreja de S. João Baptista de Morrumbene (Moçambique), 

Moçambique: Bispo de Inhambane critica onda de criminalidade no País

O Bispo da Diocese de Inhambane, a sul de Moçambique, durante a sua homilia, no último domingo, na Paróquia de São João Baptista de Morrumbene, profanada e vandalizada por desconhecidos, criticou veementemente a onda de criminialidade que grassa no País.

Hermínio José – Maputo, Moçambique

D. Adriano Langa, falava à margem da celebração eucarística, no domingo findo, numa Missa que apelidou de purificação, pois nas vésperas do natal, malfeitores tomaram de assalto o interior da paróquia e destruíram vários móveis, entre eles, a imagens de Jesus Cristo, colocada no altar.

Mais de uma centena de fiéis no culto

Pouco mais de uma centena de  fiéis de todas as comunidades de Morrumbene assistiram a missa, em obser vância a todas as medidas de prevenção da COVID-19, doença cujos casos sobem exponencialmente no país, desde os princípios do mês em curso.

Oiça aquia reportagem e partilhe

Com efeito, a Paróquia de São João Baptista de Morrumbene, conta com cerca de 40 comunidades e mais de 10 mil fiéis, distribuídos por todo o distrito. O espaço daquela capela, foi pequeno para receber mais de uma centena de crentes, estes que quiseram in loco, testemunhar a purificação da Igreja, depois da vandalização e profanação.

Na Paróquia de São João Baptista de Morrumbene, estiveram igualmente, vários sacerdotes, oriundos de Jangamo, Cidade de Inhambane, Homoíne, entre outras regiões daquela província.

Bispo lamenta postura das ONGs

Entretanto, na sua pregação, o Bispo de Inhambane, Dom Adriano Langa, pediu as Organizações Não-Governamentais (ONG’s) para deixarem de andar a atrapalhar, enganar e manipular os governantes e as sociedades com a sua demagogia baseada na falsidade.

“Assessorar é ajudar e ajudar não é substitutr nem manipular o ajudado. Por isso, deixem de ser agentes de ideologias megalómanas de todo o tipo e que os estados aceitem o facto e o princípio natural de que o seu papel na educação dos filhos é subsidiado em relação ao direito natural dos pais”, refere o prelado.

Informações dão conta de que, a pessoa que profanou e vandalizou a Igreja de Morrumbene, foi um doente mental. A propósito, o Bispo de Inhambane, disse que independentemente de ser ou não doente mental, é preciso olhar para a sociedade moçambicana e para todas as sociedades do mundo e as convida para uma reflexão.

Doente mental o jovem que vandalizou a igreja

“Hoje e aqui, não nos concentremos  no jovem que vandalizou e profanou este espaço santo, por ele ser um doente mental, como também pode ser vítima de uma outra qualquer enfermidade”, ajuntou D. Adriano Langa.

A terminar, o Bispo de Inhambane, visivelmente chocado com o episódio, disse e passamos a citar: “Estamos dentro de um espaço muito sagrado para qualquer crente e para aqueles que respeitam os outros homens, espaço este que se chama, Igreja. Estamos aqui neste evento, porque neste espaço aconteceu aquilo que não deveria ter acontecido. Mas, infelizmente, houve uma profanação. Aconteceram aqui, factos que chocaram e ainda chocam o mundo e o deixaram de boca aberta”, finalizou o Bispo da diocese de Inhambane.

Fiéis chocados com a vandalização e profanação

De referir que o acto de vandalização e profanação na Paróquia de São João Baptista de Morrumbene, foi um episódio nunca antes visto e que deixou milhares de fiéis e não só, chocados com aquele acto abominável.

13 janeiro 2021, 12:53