Busca

Vatican News
Fiéis numa igreja do Zimbabwe Fiéis numa igreja do Zimbabwe  (ANSA)

Zimbabwe. Bispos: Missas presenciais obrigatórias, salvo causas de força maior

“Se não houver causas de força maior, a presença física nas celebrações eucarísticas é obrigatória” – é quanto estabelecem os Bispos da Conferência Episcopal do Zimbabwe (ZCBC), numa nota publicada nesta segunda-feira, dia 12 de outubro, e que “desencoraja a participação on-line nas celebrações litúrgicas e outras actividades pastorais, excepto por impedimentos físicos que não o permitam”.

Cidade do Vaticano

Na sua directiva, os Bispos da ZCBC sublinham que “a presença física é mais gratificante que a participação virtual via live-streaming”.

No Zimbabwe, as Missas com a participação dos fiéis, foram retomadas no passado mês de junho depois do abrandamento das restrições impostas no passado mês de março pelo Presidente Emmerson Mnangagwa, devido à pandemia da Covid19. No passado mês de setembro o número de fiéis admitidos na participação às celebrações litúrgicas foi aumentado de 50 para 100 pessoas, sempre no respeito das normas de prevenção à Covid-19.

No comunicado intitulado “a alegria de estar juntos para as celebrações públicas, os bispos zimbabweanos chamam a atenção dos fiéis para as linhas de orientação emanadas no mês de junho. Permanece, pois, em vigor a obrigação de receber a comunhão nas mãos e não directamente na boca, e a suspensão da saudação de paz.

Onde não existam as condições para garantir o respeito do distanciamento social, as celebrações se devem realizar ao ar livre. São permitidas as confirmações, ordenações, baptismos, casamentos e funerais e outros encontros, sempre no cumprimento rigoroso das normas contra o contágio, enquanto que permanecem suspensos os encontros a nível diocesano e nacional.

A nota lembra que o vírus "ainda é uma ameaça" no País e que é, portanto, seguir escrupulosamente as diretrizes do Ministério da Saúde sobre a higiene das mãos, o uso das máscaras e o distanciamento físico. Finalmente, os bispos exprimem a sua gratidão a Deus pelo impacto limitado da pandemia no Zimbabwe (pouco mais de 8 mil casos registados, com 230 mortos numa população de quase 14 milhões de habitantes), e asseguram as suas orações pelas vítimas.

15 outubro 2020, 13:30