Busca

Vatican News
Fortes inundações afectam milhares de crianças em Pibor, Sudão do Sul Fortes inundações afectam milhares de crianças em Pibor, Sudão do Sul 

Inundações afectam milhares de crianças na Somália e no Sudão do Sul

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lança um alerta pelas inundações que já colocam em risco 490 mil crianças no Sudão do Sul e afectam 200 mil na Somália.

Cidade do Vaticano

Sudão do Sul: O UNICEF lançou um um apelo de emergência de 10 milhões de dólares norte-americanos para responder às necessidades imediatas das crianças afectadas pelas inundações no Sudão do Sul. Mais de 900 mil pessoas no país, incluindo 490 mil crianças, precisam urgentemente de assistência. Cerca de um quinto do país está lutando contra as inundações. Comunidades inteiras, incluindo centros de saúde e nutrição e escolas estão inundadas, e até 90% dos serviços básicos foram suspensos em diferentes áreas.

Escolas usadas como refúgios

Cerca de 90 mil crianças não podem ir à escola porque as salas estão inundadas, os professores estão deslocados e as escolas são usadas como refúgios. Desta forma, as crianças estão a perder também espaços seguros que as protegem da exploração e abusos.

O UNICEF está respondendo às necessidades das crianças afectadas e, dois dias atrás, foi a primeira organização a fornecer ajuda básica a Pibor em Jonglei, onde os barcos agora substituem os carros. Foram entregues por via aérea 4,8 toneladas de apoios.

Garantir serviços importantes para crianças

Espaços temporários para a nutrição e centros de saúde foram montados em tendas ou sob as mangueiras para continuar a garantir serviços importantes, sobretudo para as crianças. Foram construídas latrinas de emergência e espaços temporários para a aprendizagem. Estão sendo distribuídos comprimidos para tratamento da água e várias equipas estão no terreno para difundir de porta em porta informações sobre cuidados de saúde.O UNICEF planifica expandir a sua resposta para alcançar várias áreas remotas de Jonglei, Alto Nilo, Warrap, Norte do Bahr El Ghazal, Unity e Equatória Oriental.

Milhares de famílias forçadas a deixar suas casas

Também na Somália cerca de 200 mil crianças foram atingidas por graves inundações em Belet Weyne, Berdale, Baidoa, Jowhar e Mahadaiin. Milhares de famílias foram forçadas a deixar as suas casas e refugiar-se em terrenos mais altos. Vivendo em refúgios ou, pior ainda, ao ar livre, muitos dos deslocados precisam urgentemente de água potável, serviços de higiene e saneamento, refúgios e apoios em alimentos e saúde. As inundações também destruíram escolas e interromperam a educação para milhares de crianças.

Insegurança alimentar vai agravar má nutrição de crianças

Culturas danificadas e campos inundados impedirão o acesso a alimentos. Isto agravará a situação nutricional já precária do país. A insegurança alimentar, a falta de assistência médica e de acesso à água potável e serviços de higiene e saneamento vão agravar a má nutrição entre as crianças somalis e causarão um ciclo mortal de doenças ligadas à água que se espalham rapidamente.

O UNICEF está trabalhando com as autoridades locais e os seus parceiros para identificar e responder às necessidades mais urgentes das crianças e de suas famílias. A organização está a distribuir ajudas de emergência e a fornecer serviços salva-vida através dos seus parceiros em campo.

Kits de acesso à água potável e prevenção de doenças

Estão a ser distribuídos 33 mil kits de higiene para permitir o acesso à água potável e prevenir doenças ligadas à água; serão fornecidos antecipadamente apoios para tratar 90 mil pessoas afectadas por diarréia aquosa aguda; as equipas para a nutrição já estão no terreno para tratar as crianças com má nutrição aguda grave; serão construídos espaços infantis para fornecer a mil e trezentas crianças mais afetadas espaços para brincar e estudar com segurança.

06 novembro 2019, 12:55