Busca

Vatican News
Bispos da Nigéria em visita "ad Limina Apostolorum" Bispos da Nigéria em visita "ad Limina Apostolorum"  (Vatican Media)

Nigéria. Decorre em Benin City Congresso Nacional sobre “A Igreja de Cristo em missão na Nigéria”

"Estamos felizes em acolher o monsenhor Dal Toso como sinal de comunhão com a Igreja universal", diz o Padre George Olusegun Ajana, director nacional das Obras Missionárias Pontifícias (OMP) da Nigéria, onde em 22 de outubro teve início, em Benin City, o Congresso Missionário Nacional da Nigéria, sob o tema "A Igreja de Cristo em missão na Nigéria”.

Cidade do Vaticano

Monsenhor Giampietro Dal Toso, Secretário-Adjunto da Congregação para a Evangelização dos Povos e Presidente das OMP, além do encontro com os delegados no Congresso, teve uma reunião com todos os bispos nigerianos nesta sexta-feira, 25 de outubro, e depois celebrará as conclusões do Congresso no sábado 26 de outubro.

"O Congresso Missionário Nacional é um evento muito importante para a Igreja na Nigéria, que se repete de quatro em quatro anos, porque lá se decidem quais são as actividades missionárias no nosso país", explica o Padre George. "O tema escolhido para o Congresso "A Igreja de Cristo em missão na Nigéria" retoma o tema da Igreja universal "A Igreja de Cristo em missão no mundo”.

O drama das perseguições 

O director nacional das OMP explica que "a Igreja na Nigéria deve enfrentar formas de perseguição resultantes da violência cometida por extremistas islâmicos, como os pertencentes ao Boko Haram. Muitos cristãos, especialmente católicos, são mortos pelo simples facto de serem cristãos. Mas mesmo no meio destas perseguições, permanecemos firmes na nossa fé, sem ceder a compromissos”. "O Congresso Missionário pode dar uma forte contribuição para fazer sentir aos católicos perseguidos que não estão sozinhos", disse o pe. Georg.

A unidade da Igreja

"De facto, no Congresso participam católicos provenientes de toda a Nigéria e isso é muito encorajador, porque demonstra a unidade da Igreja nigeriana. Os fiéis perseguidos podem sentir que não estão isolados, que não estão sozinhos, mas fazem parte de uma comunidade que os acolhe, os protege e os ajuda espiritual e materialmente". "Neste sentido, a visita de D. Dal Toso reforça este sentimento, alargando o abraço da Igreja da Nigéria à Igreja universal". "Não estamos sozinhos - conclui o director nacional das OMP. Estamos felizes de acolher D. Dal Toso como sinal de comunhão com a Igreja universal que se recorda que existimos e quer estar em comunhão connosco" - (Agência Fides).

24 outubro 2019, 15:54