Versão Beta

Cerca

Vatican News
Card. John Njue e o Presidente da Tanzânia John Magufuli, em Bagamoyo Card. John Njue e o Presidente da Tanzânia John Magufuli, em Bagamoyo 

Tanzânia celebra jubileu dos 150 anos de fé católica

Milhares de Católicos Tanzanianos, juntamente com o Presidente daquele País, John Magufuli, e outros dignitários, celebraram no último domingo, 4, os 150 anos de evangelização em Bagamoyo, um distrito costeiro, a 51 quilómetros de Dar-es-Salaam.

Cidade do Vaticano

O representante oficial do Papa Francisco nas celebrações da Tanzânia, o arcebispo de Nairobi (Quénia) Cardeal John Njue, presidiu às celebrações com os fiéis. Na sua homilia, o Cardeal apelou aos vários sectores da sociedade Tanzaniana a honrar as suas responsabilidades e deveres, e a manter a paz no País.

Cardeal Njue apela aos Tanzanianos para reflectirem sobre sua fé

 “Este é o tempo de nos perguntarmos a nós próprios se as sementes da paz pregadas pelos primeiros missionários nos primeiros tempos da Igreja produziram frutos e foram protegidas”, disse o Cardeal Njue aos milhares de fiéis reunidos em Bagamoyo.

Falando momentos antes ao Serviço em KiSwahili do Vaticano News, o Arcebispo Emérito de Arusha, D. Josaphat Louis Lebulu, disse que a próxima fase da Igreja em Tanzânia deveria ser dedicada ao investimento em estratégias pastorais sustentáveis que aprofundem ainda mais profundamente a fé dos cristãos.

Bagamoyo: De porto de escravos para símbolo de redenção

O arcebispo Lebulu disse que Bagamoyo foi um local muito significativo na história do Catolicismo em Tanzânia, porque foi o primeiro lugar onde os missionários do Espírito Santo desembarcaram.

D. Josaphat Lebulu também disse que Bagamoyo foi escolhido para as celebrações do Jubileu porque foi antes um local de dor e tortura envolvendo muitos escravos africanos vendidos e exportados a partir daquele porto. Contudo, com a chegada dos missionários, Bagamoyo se transformou num lugar de redenção.


Obra dos missionários que instalaram a Cruz

"Celebramos o grande trabalho feito por missionários que vieram para a Tanzânia através de Bagamoyo em 1868. Instalaram a Santa Cruz (em Bagamoyo), um símbolo de redenção da escravidão, um símbolo de fé para nós", disse o arcebispo Lebulu.

05 novembro 2018, 17:10