Versão Beta

Cerca

Vatican News
2018.11.19 Irmã Rita Maria Nicolau Irmã Rita Maria Nicolau 

Portugal: Dominicanas S. Catarina de Sena homenagearam fundadora

Madre Teresa de Saldanha (1837-1916), foi a primeira mulher a fundar há 150 anos uma congregação em Portugal, após a extinção das ordens religiosas.

Domingos Pinto - Lisboa

As Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, a Câmara Municipal de Lisboa e a Junta de Freguesia de São Vicente homenagearam Madre Teresa de Saldanha nos 150 anos do início da sua missão evangelizadora e defesa da dignidade humana.

Oiça

A homenagem teve lugar no passado dia 13 de novembro no local onde há século e meio nasceu a congregação, no nº 5 da Calçada do Cascão, no Bairro de Alfama na Lisboa do século XIX, um bairro “muito pobre, muito populoso, cheio de crianças, cheio de fábricas e estava perto das prisões”, disse à VATICAN NEWS a irmã Rita Maria Nicolau, superiora-geral das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena.

“Fazer memória é muito importante”, sublinhou a religiosa na cerimónia que ficou marcada desde logo pela colocação de uma placa de homenagem a Madre Teresa de Saldanha que abriu uma escola para meninas pobres numa época em que “dois terços das mulheres em Portugal não sabiam ler, nem escrever”.

Por sua vez, Fernando Medina, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, destacou igualmente a prioridade que a fundadora desta congregação religiosa deu à educação, em particular das mulheres, das jovens, das crianças, que, “desde muito cedo, viu condenadas a uma vida de trabalho excessivo, miséria, privação”.

Na mesma rua em Alfama, esta homenagem ficou ainda marcada pela visita ao Núcleo de Apoio Local (NAL), que é gerido pela ‘Associação João 13’, que acolhe pessoas em condições de sem-abrigo.

Um local de grande significado para a congregação, precisamente nas instalações de uma antiga Fábrica dos Botões onde Teresa de Saldanha ajudou raparigas dos 12 aos 20 anos que trabalhavam 14 horas por dia, não tinham estudos e vivam em situação de pobreza.

“São das boas coincidências ou das felizes coincidências. 150 anos depois aparecemos aqui a ajudar as pessoas sem-abrigo desta zona de Santa Apolónia. Foi uma bonita união continuarem os dominicanos a fazer o bem como a madre Teresa de Saldanha aqui fazia”, disse neste contexto à VATICAN NEWS frei Filipe Rodrigues, fundador da ‘Associação João 13’.

“O objetivo é tirar as pessoas da rua”, sublinha o sacerdote dominicano que considera que este é um serviço aos mais carenciados “muito na linha do Papa Francisco”.

Para além de Portugal, as Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena estão também em Angola, Albânia, Brasil, Moçambique, Paraguai e Timor-Leste, onde desenvolvem o seu trabalho na educação e promoção das crianças, sobretudo das mais pobres.

 

21 novembro 2018, 13:14