Cerca

Vatican News
Visita pastoral do Card. Filoni a Angola e São Tomé e Príncipe Visita pastoral do Card. Filoni a Angola e São Tomé e Príncipe 

Card. Filoni aos bispos angolanos de Saurimo: “sede unidos e solidários"

Uma vibrante exortação a ser "unidos e solidários", a consolidar o espírito de comunhão eclesial e fraterna e a solicitude pelas Igrejas irmãs, para que o ministério seja fecundoo, foi dirigido pelo Cardeal Fernando Filoni, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, aos bispos da província eclesiástica de Saurimo, no segundo dia da sua visita pastoral a Angola.

Cidade do Vaticano

"A Igreja em Angola está a ser cada vez mais vibrante, dinâmica, comprometida e em contínuo crescimento - disse o Cardeal -, como demonstra o crescente número de sacerdotes, religiosas e religiosos locais, filhos desta terra, e o progresso do processo de enraizamento . Nota-se também a criação de estruturas pastorais e a organização das vossas dioceses, o empenho de muitos leigos, especialmente catequistas, no campo da evangelização, o afluxo dos fiéis às igrejas no domingo, a sua participação nos sacramentos, a solidariedade demonstrada especialmente nos momentos de dificuldade".

O prefeito do Dicastério Missionário sublinhou que "este movimento deveria ser o mesmo para todas as vossas províncias eclesiásticas, sem exclusão de qualquer diocese", e exortou à comunhão episcopal, tomando cada vez maior consciência da dimensão colegial do ministério confiado, que se deve realizar sobretudo no âmbito da mesma província eclesiástica: "juntos, e em estreita colaboração uns com os outros, podereis progredir na obra da evangelização”.

Card. Filoni indicou algumas prioruidades pastorais

Cada Conferência Episcopal é chamada a preocupar-se com o crescimento espiritual e moral do povo de Deus presente na sua jurisdição. "No que diz respeito às questões sociais e políticas, embora sejam parte integrante do campo de ação da Igreja na sua missão de evangelização, não deveriam ser privilegiadas em detrimento da reflexão e do trabalho profundo relativo às graves questões eclesiais e pastorais que preocupam as vossas comunidades cristãs.

Alguns problemas de moralidade e disciplina no clero

As tarefas prioritárias para o episcopado Angolano, indicadas pelo Cardeal, são a atenção aos sacerdotes, aos religiosos e religiosas, o cuidado pelos candidatos ao sacerdócio ou à vida religiosa consagrada, a assistência dos leigos, especialmente jovens e famílias , através de uma formação integral e permanente. A este propósito, o Cardeal Filoni mencionou algum problemas de moralidade e disciplina no clero, apesar de o clero diocesano e religioso trabalhar, por vezes, em condições muito difíceis, mas com grande zelo e devoção. Alguns institutos religiosos diocesanos de vida consagrada têm sérias dificuldades: "conflitos internos ou com o bispo diocesano, tribalismos ou superstições, problemas financeiros ou morais ... para isto o Purpurado convidou os bispos a “intervir com firmeza para sanar estes males”. É preciso também estar atentos com a formação sacerdotal para que o sacerdócio não seja considerado uma "promoção social, um meio de auto-afirmação, para adquirir algum prestígio mundano". O Cardeal também disse aos bispos para estarem atentos à vida e funcionamento dos Seminários bem como a formação dos leigos, para que possam participar activamente na evangelização e na missão da Igreja.

Crenças e práticas supersticiosas condicionam a vida quotidiana

Na parte conclusiva o Cardeal Filoni sublinhou a dificuldade de fazer penetrar em profundidade o Evangelho nos estratos culturais e nas tradições populares: "As crenças e práticas supersticiosas, a feitiçaria e a magia que condicionam a vida quotidiana das pessoas e alimentam o medo e as suspeitas ainda são vivas nas comunidades cristãs. Sacerdotes e religiosos não estão isentos desta situação" - (Agência Fides)

13 novembro 2018, 16:39