Versão Beta

Cerca

Vatican News
Cardeal D. Arlindo Furtado em Fátima Cardeal D. Arlindo Furtado em Fátima 

Card. Furtado: “solução duradoira” para migrantes e refugiados"

Em Fátima, o bispo de Santiago, em Cabo Verde, presidiu à peregrinação aniversária de 13 de agosto, especialmente dedicada aos migrantes e aos refugiados.

Rui Saraiva – Porto

Em Fátima, a peregrinação aniversária de 13 de agosto, especialmente dedicada aos migrantes e aos refugiados, foi presidida este ano pelo cardeal Arlindo Furtado. O bispo de Santiago, em Cabo Verde, exortou as autoridades e governos a encontrarem uma “solução duradoira e pacífica” para a crise dos migrantes e refugiados.

Diversidade é riqueza

O purpurado cabo-verdiano, durante a Missa no Recinto do Santuário, assinalou também na sua homilia a necessidade de acolher o outro, sublinhando que a diversidade deve ser “considerada como riqueza”.

O cardeal Furtado começou por referir a força da Palavra de Deus nas leituras proclamadas na celebração, em particular, o Evangelho de S. Mateus que apresentava “Jesus Menino, Maria e José, a Sagrada Família, na estrada da migração, em viagem de ida ao Egito e de regresso” – recordou o purpurado.

65 milhões de refugiados: urgente valorizar acolhimento

Num mundo onde existem mais de 65 milhões de refugiados é “urgentíssimo” valorizar o acolhimento – disse o cardeal Furtado:

“Por isso, é urgentíssimo que as consciências se despertem e produzam ações concretas em favor dos refugiados, a começar pela ação de acolher, acolher o irmão nalgum ponto da Terra, que é, afinal, pertença de Deus.”

O cardeal Arlindo Furtado recordou os quatro verbos propostos pelo Papa Francisco para ajudar migrantes e refugiados: “acolher, proteger, promover e integrar”. O purpurado considerou que estas ações propostas pelo Papa interpelam “vivamente a consciência de todos, não deixando ninguém indiferente”.

Governos procurem solução duradoira

O cardeal Furtado dirigiu-se diretamente aos governos e às autoridades políticas dos Estados Unidos e da Europa e dos países de origem dos refugiados exortando-os a procurarem uma solução duradoira para a crise migratória:

“Os governos e as autoridades políticas dos Estados Unidos e da Europa, por um lado, e dos países de onde partem esses irmãos, por outro lado, têm o dever moral de abrir a inteligência e o coração e de se unir em vista duma solução duradoira e pacífica para os gravíssimos problemas dos migrantes em geral e dos refugiados em especial.”

Nunca negligenciar transmissão da fé

O cardeal Arlindo Furtado dirigiu-se também aos muitos migrantes presentes na celebração, apelando para “nunca negligenciarem a transmissão da fé cristã aos próprios filhos, como a melhor herança” – afirmou.

O purpurado assinalou que é possível encontrar soluções no âmbito de uma “comunidade de fé”, confiando na oração e sendo “fermento de humanização”. Através da fé na Igreja de Jesus Cristo é possível encontrar “soluções globais para crises globais” – declarou o cardeal Arlindo Furtado:

“Trata-se da fé da Igreja de Jesus Cristo, que faz de todos membros de uma só comunidade. Uma comunidade de fé, chamada a ser «fermento de humanização» através dos valores cristãos num mundo globalizado, desafiado hoje a encontrar soluções globais para crises globais, como é o da migração e dos refugiados. Tais soluções são possíveis.”

Foi com esta palavra de esperança que o Cardeal Arlindo Furtado, bispo de Santiago, em Cabo Verde, concluiu a sua homilia no Santuário de Fátima na peregrinação aniversária de agosto que contou com 23 grupos organizados vindos de 20 países.

Recordamos que decorre esta semana até domingo dia 19, em Portugal, a 46ª. Semana Nacional das Migrações, promovida pela Comissão Episcopal da Mobilidade Humana e que propõe o seguinte tema de reflexão: "Cada forasteiro é ocasião de encontro - Migrantes e Refugiados no caminho de Cristo".

Oiça aqui a reportagem e partilhe:

 

13 agosto 2018, 09:25