Versão Beta

Cerca

Vatican News
Jornada Nacional da Juventude, Chimoio, Moçambique Jornada Nacional da Juventude, Chimoio, Moçambique 

Segunda JNJ de Moçambique será em Namupla em 2020

Terminou neste domingo, 24, em Chimoio, Moçambique, a I Jornada Nacional da Juventude, e Padre Juliasse, um dos organizadores do evento, afirmou em entrevista à Vatican News que foi um momento para os jovens experimentarem o sentido de partilha e formação na fé. A segunda será em Nampula, em 2020.

P. Bernardo Suate - Cidade do Vaticano

A Jornada da JNJ que ternminou neste domingo, 24, em Chimoio compreendia catequeses diárias, e os jovens foram acolhidos nas Paróquias e famílias, para fazerem troca de experiências e intercâmbio, afirmou o sacerdote.

O evento contou com três tipos de participantes: os delegados das Dioceses (jovens enviados pelas 12 Dioceses de Moçambique); os jovens participantes por conta própria, orgazinados em grupos ou individualmente; e os jovens trabalhadores que só poderão participar nas actividades do fim de semana.

Peregrinação a Marera e vigília entre as actividades

Entre as principais actividades, para além das catequeses, de salientar a bênção da cruz (a cruz das Jornadas Nacionais), uma marcha juvenil pela Rua principal da Cidade de Chimoio, a peregrinação ao Santuário de Marera no sábado 23 com vigília dos jovens, e a Missa de encerramento e envio no domingo 24 de junho.

Os organizadores aguardavam que cerca de 12.500 jovens, católicos e não só, participassem neste evento, já que a JNJ é uma particular actividade da pastoral juvenil da Igreja em Moçambique, aberta a todos quantos partilham o sentido e os ideais da amizade e de caminhar juntos.

Preocupaçõe e desafios dos jovens

Os jovens querem que a Igreja lhes dê oportunidade e mais atenção às suas preocupações e ao seu modo de estar no contexto actual, para poderem ser também uma contribuição valiosa na Igreja em Moçambique; a nível social, apontam vários desafios, entre os quais a perca de valores, hoje em dia, e a necessidade de redescobrir aqueles valores que podem ser úteis às suas vidas no contexto de rápidas transformações em que vivemos e as novas exigências que ultrapassam o contexto moçambicano.

Pobreza e corrupção

Os jovens mencionaram também o problema da pobreza e da corrupção, e vêem os seus ideais cortados, mesmo com capacidades, por causa da corrupção. Ao mesmo tempo, porém, os jovens participantes na JNJ também fizeram auto-crítica, pois por vezes são também os próprios jovens que reproduzem comportamentos de corrupção, ressaltou o Padre Juliasse.

Preparando o Sínodo sobre os jovens e a JMJ de panamá

Tudo isto, tendo em vista (e como preparação para) os próximos dois grandes acontecimentos da Igreja universal: o Sínodo dos Bispos sobre os Jovens, em outubro 2018, e a JMJ de Panamá, em janeiro 2019.

Os jovens esperar sair desta experiência muito animados e para começarem a olhar, a partir desta JNJ, o nosso contexto moçambicano e os próprios desafios, de forma diferente e como pessoas de fé – concluiu o Padre Juliasse.

Entrevista com P. Juliasse: oiça aqui e partilhe:
23 junho 2018, 15:37