Vatican News
Fundação Ajuda à Igreja que Sofre, no Líbano Fundação Ajuda à Igreja que Sofre, no Líbano  (Copyright: free with credit to Photographer)

AIS Portugal “tem contribuído para aprofundar a democracia”

Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa enviou mensagem à Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) para assinalar os 25 anos desta organização católica em Portugal.

Domingos Pinto - Lisboa

“Pessoalmente, conhecendo esta Fundação, junto uma nota que tem a ver com a sua presença nos meios mais carenciados, socialmente mais dependentes, e, por outro lado, na sua abertura de espírito às causas humanitárias, sociais, ligadas às dependências da cultura, do ensino, da economia, mas também do trabalho. Tudo isso tem a ver com a liberdade religiosa”.

Ouça e compartilhe!

Palavras elogiosas do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, numa mensagem divulgada no passado dia 14 de setembro pela AIS, dia em que esta instituição católica renovou a sua consagração a Nossa Senhora de Fátima.

O Chefe de Estado deixa uma “palavra de gratidão”, pessoal e institucional, a “uma instituição que, de forma desinteressada, tem contribuído para aprofundar a democracia em todos os seus sentidos em Portugal”.

O Presidente da República destaca a importância da liberdade religiosa para o país, sublinhando que, para o Estado, “promover a liberdade religiosa significa nomeadamente promover também a liberdade daqueles que não professam qualquer religião”.

“Todos eles entram num conceito amplo de ecumenismo”, afirma o Chefe de Estado, homenagem que a diretora do secretariado português destaca à Vatican News.

“É para nós uma grande honra este reconhecimento e este incentivo para trabalharmos”, diz Catarina Martins de Bettencourt que realça o fato de “ser a primeira vez que um chefe de Estado faz esta menção à instituição e agradece o seu trabalho publicamente”.

A AIS iniciou o seu trabalho em Portugal a 13 de outubro de 1995, com pequeno um grupo de voluntários, uma presença que começou em Lisboa e depois se estendeu a Fátima, Évora e Almada, (Cristo-Rei), diz aquela responsável, que realça o trabalho em defesa da liberdade religiosa.

Ao portal da Santa Sé, a diretora do secretariado português da AIS explica ainda algumas campanhas em curso, nomeadamente a favor dos cristãos perseguidos no Líbano, e ainda a ajuda de emergência às populações em Cabo Delgado, norte de Moçambique.

Fundação Ajuda à Igreja que Sofre, no Líbano
Fundação Ajuda à Igreja que Sofre, no Líbano
05 outubro 2020, 12:37