Vatican News
Fiéis diante de igreja católica em Burkina Fasso, país do oeste da África atingido por extremismo religioso Fiéis diante de igreja católica em Burkina Fasso, país do oeste da África atingido por extremismo religioso 

Pe. Zagore: unidade e solidariedade para superar o extremismo religioso

“Os cristãos em Burkina Fasso, como muitos outros na África, sofrem violências por causa de sua fé. É nesse contexto de sofrimento que os bispos da África Ocidental se encontram para levar, num espírito profético e fraterno, seu apoio moral e espiritual aos cristãos, em particular, e ao povo burquinense, em geral”, ressalta o teólogo marfinense da Sociedade das Missões Africanas, Pe. Zagore

Cidade do Vaticano

A Igreja e toda a população de Burkina Fasso, país do oeste da África, encontram-se  num contexto de sofrimento extremo. Crescem o terrorismo e o extremismo religioso, sacerdotes são assassinados, cristãos são sequestrados, não são poupadas nem mesmo as igrejas, que são destruídas.

Ouça e compartilhe!

Nesse contexto de violência e sofrimento, os bispos das Conferências nacionais e interterritoriais da África Ocidental que constituem a RECOWA-CERAO (Conferência Regional Episcopal da África Ocidental) prosseguem este dias – de 13 a 20 de maio – em Uagadugu, capital burquinense, em sua 3ª Assembleia Plenária.

Sinal profético e fraterno dos bispos da África Ocidental

“Os cristãos em Burkina Fasso, como muitos outros na África, sofrem violências por causa de sua fé. É nesse contexto de sofrimento que os bispos da África Ocidental se encontram para levar, num espírito profético e fraterno, seu apoio moral e espiritual aos cristãos, em particular, e ao povo burquinense, em geral. Na África se costuma dizer que é na miséria que se reconhecem os verdadeiros amigos”, ressalta o teólogo marfinense da Sociedade das Missões Africanas, Pe. Donald Zagore.

“Ocorre ainda que, no nome de Alá o misericordioso, tem gente que mata. A verdade, porém, é que Alá não manda ninguém matar por sua conta. Aqueles que matam em nome de Alá são unicamente criminosos que merecem ser detidos e julgados segundo as leis em vigor”, prossegue o missionário.

Cristãos de Burkina Fasso não estão e jamais estarão sozinhos 

“Hoje, mais do que nunca, a Igreja na África Ocidental através dos bispos, quer mostrar ao mundo que os cristãos de Burkina Fasso não estão e jamais estarão sozinhos nesta luta contra o extremismo religioso. A luta será vencida porque permanecemos firmemente conscientes do fato de que o mal, qualquer que seja o seu conteúdo, não terá a última palavra em nossa vida. Mas não poderemos enfrentar esse desafio se nossos governos não estiverem envolvidos de modo concreto e eficaz”, afirma.

O sacerdote conclui dizendo: “É tempo de os nossos governos da região se unirem verdadeiramente, utilizando os meios necessários para dar fim a essa tragédia humana. Na unidade e na solidariedade superaremos o extremismo religioso”.

(Fides)

16 maio 2019, 17:13