Busca

Vatican News
Paolo Ruffini recebe o Papa Francisco Paolo Ruffini recebe o Papa Francisco  (Vatican Media)

Ruffini: o Papa nos encoraja a sermos novos e autênticos todos os dias

O prefeito para a Comunicação da Santa Sé comenta a visita do Papa à comunidade de trabalho do Dicastério, na sede do Palazzo Pio.

Francesca Sabatinelli – Vatican News

A acompanhar o Papa em sua visita ao Palazzo Pio, aos funcionários do Dicastério da Comunicação, foi Paolo Ruffini, prefeito para a Comunicação da Santa Sé, entrevistado imediatamente após o retorno de Francisco à Casa Santa Marta:

P. - Oito anos após sua eleição para à Cátedra de Pedro, por ocasião do 160º aniversário de criação do jornal L'Osservatore Romano e dos 90 anos da Rádio Vaticano, Francisco no Palácio Pio encontrou os funcionários do Dicastério para a Comunicação...

R. - Foi uma grande emoção para todos, uma visita há muito esperada que, de alguma forma, nos confirma em nosso trabalho e que nos diz que os aniversários devem ser vividos olhando para frente e não para trás, que nos diz "olhar para frente" para entender como você pode falar, ser lido, por pessoas ao redor do mundo e estabelecer o objetivo de ser ouvido por cada vez mais e mais pessoas e lido por cada vez mais e mais pessoas. E isto é o que fazemos todos os dias, falamos a língua daqueles que nos escutam e trabalhamos para garantir que haja cada vez mais, e de fato há cada vez mais, a cada ano que passa há um aumento desde o nascimento do Dicastério, também através do sistema de Internet, através das redes sociais, vemos o quanto estamos crescendo. Mas nunca parar, pensar que nunca chegamos, é muito importante, isto é o que o Papa nos convida a fazer.

P. - O Papa também nos convidou a seguir em frente com coragem, com muita coragem.

R. - Coragem também diante da realidade que nos desafia. Ao L'Osservatore Romano ele disse "deixem-se esbofetear pela realidade". A realidade nos coloca em dificuldades de muitas maneiras - pensemos na Covid, pensemos nas dificuldades que encontramos, pensemos em como devemos ser bons em inculturar a mensagem em países tão diferentes uns dos outros, em termos de situações sociais, econômicas e religiosas. Portanto, "deixem-se esbofetear" está de acordo com o que ele escreveu na mensagem, o "ir e ver" (Mensagem para o 55º Dia Mundial das Comunicações 2021 - ed.). Ou seja, a realidade nos desafia de alguma forma, às vezes nos desafia de uma maneira dura, nos esbofeteia, devemos reagir com a força para transfigurá-la, não há nada na realidade que não possa ser mudado. Este é um desafio para os meios de comunicação que, de alguma forma, a conformam à realidade.

P. - Ao saudar os funcionários, o Papa Francisco também os exortou a terem muito cuidado para não cairem no funcionalismo, mas a permanecerem fiéis a um certo tipo de funcionalidade. O que ele quis dizer com isso?

R. - É algo que ele sempre repete sobre a forma e a substância. Funcionalismo é fazer tudo como se fosse perfeito, pensar-se almas perfeitas, ou instituições perfeitas, e depois, na realidade, não produzir nada. Portanto, ele nos desafia a garantir que nosso trabalho seja criativo, que seja livre, que responda a uma missão, à nossa missão, portanto a liberdade está sempre dentro de uma missão, o "tenho que fazer algo e o faço da maneira mais livre, mais criativa". Então o Papa nos diz: preste atenção, não pense na perfeição fria, plástica, mas pensem na imperfeição da carne de cada um de nós, somos todos imperfeitos, somos todos homens, nosso trabalho é sempre imperfeito, e façam com que essa sua criatividade chegue, dialogue livremente, algo que fazemos todos os dias em nossas reuniões, mas é bom ouvir o Papa dizer isso, é bom ouvir dizer isto do editor, de alguma forma, nos dizendo: não tenham medo.

Paolo Ruffini, prefeito para a Comunicação da Santa Sé
24 maio 2021, 15:21