Busca

Vatican News
Mural alusivo ao médico pintado em muro de Caracas Mural alusivo ao médico pintado em muro de Caracas  (AFP or licensors)

Será o núncio na Venezuela a presidir beatificação do "Médico dos Pobres"

Era esperada a presença do cardeal Pietro Parolin para presidir a celebração, visto ter sido núncio na Venezuela antes de assumir o cargo de secretário de Estado do Vaticano. A viagem foi cancelada devido à pandemia de Covid-19.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

A Sala de Imprensa da Santa Sé informou nesta quarta-feira, 28, que o cardeal secretário de Estado, Pietro Parolin, não irá à Venezuela, como estava previsto, para a beatificação do “Médico dos Pobres” na próxima sexta-feira. A Missa será celebrada pelo núncio apostólico no país, Dom Aldo Giordano.

“Por motivos de força maior, principalmente ligados à pandemia de Covid-19 – diz a nota da Sala de Imprensa - o secretário de Estado não poderá mais viajar à Venezuela, como era seu desejo, por ocasião da beatificação do Venerável Servo de Deus José Gregorio Hernández, que terá lugar em Caracas no dia 30 deste mês”.

“O cardeal Parolin – acrescenta o comunicado - assegura a sua participação espiritual neste momento tão importante para a Igreja e para todo o país e faz votos que ele contribua para aprofundar a fé dos venezuelanos e a sua vida cristã, à imitação do novo Beato, para enfrentar juntos a crise humanitária e promover uma convivência plural e pacífica.”

 

Há muito é aguardada a beatificação deste médico muito estimado pelos venezuelanos pelo seu trabalho e dedicação aos mais pobres e a todos aqueles que dele precisavam. Foi um grande profissional médico, um cientista, um pensador e, sobretudo, uma fervorosa pessoa que acreditava em Deus, em quem colocou toda a sua sabedoria e sua atuação profissional e humana.

Formador de várias gerações de médicos que seguiram seu caminho, conhecedor lúcido da realidade venezuelana, nunca parou diante dos desafios, por mais difíceis que fossem, mas sempre os uniu à sua vocação de serviço a Deus.

Neste momento marcado pela pandemia de coronavírus, sua beatificação é um instrumento para “fortalecer a esperança” que ajudará a Venezuela a “superar este estado de privação e dificuldade que a população está vivendo, especialmente os mais pobres e marginalizados”, afirma a Conferência Episcopal da Venezuela.

Somente 150 pessoas poderão participar da cerimônia de beatificação do médico venezuelano e não será na grandiosidade do Estádio Olímpico da Universidade Central da Venezuela, sua Alma Mater, mas na igreja do colégio La Salle, em Caracas, local que, segundo comentou a coordenadora da Comissão Nacional para a Beatificação, Albe Pérez, se encontra na zona da cidade onde José Gregorio Hernández desenvolveu grande parte do seu trabalho como médico.

Photogallery

Contagem regressiva para beatificação do Dr. José Gregório
28 abril 2021, 11:49