Busca

Vatican News
Cardeal Marc Ouellet, prefeito da Congregação para os Bispos Cardeal Marc Ouellet, prefeito da Congregação para os Bispos  (Vatican Media)

Ouellet: cada fiel constrói um pedaço da Igreja

Simpósio Teológico sobre as vocações, promovido pela Congregação para os Bispos para fevereiro de 2022. Dentre os temas principais, a formação dos sacerdotes no contexto da sinodalidade. O cardeal prefeito do dicastério: as comunidades atraem se têm vida de comunhão entre si. Esta é a força dos cristãos desde o início do cristianismo.

Michele Raviart/Mariangela Jaguraba – Vatican News

Promover uma comunidade entre as vocações, desde as dos sacerdotes até as dos fiéis, unidos pelo batismo e pelo amor do Espírito Santo.  Este é um dos objetivos do Simpósio Teológico Internacional “Por uma Teologia Fundamental do sacerdócio”, organizado pela Congregação para os Bispos para o próximo ano. Três dias de debates e conferências, de 17 a 19 de fevereiro de 2022, que contarão com a participação de prefeitos das Congregações, bispos, sacerdotes e fiéis provenientes de várias partes do mundo.

Ouça e compartilhe

Um percurso de sinodalidade na Igreja

O objetivo do encontro é confrontar-se, no signo da sinodalidade desejada pelo Papa Francisco, num percurso de aproximação que, em relação ao Simpósio Teológico Internacional, começou nesta segunda-feira (12/04), com a apresentação do evento na Sala de Imprensa da Santa Sé. “Sinodalidade significa a participação ativa de todos os fiéis na missão da Igreja”, recordou o cardeal Marc Ouellet, prefeito da Congregação para os Bispos. “Descreveu a marcha unida dos batizados rumo ao Reino, construído todos os dias na realidade da família, do trabalho, como também na vida social e eclesial em todas as suas formas”, através “de uma colaboração forte entre leigos, sacerdotes e religiosos para o anúncio do Evangelho ao mundo”.

O sacerdócio do Amor

Os destinatários do Simpósio, que se dirige a todos, são principalmente os bispos, afirmou o purpurado, em sua função de guias e formadores, que poderão aprofundar o significado e a importância da comunidade entre as diferentes vocações na Igreja. Este percurso é guiado pelo Espírito Santo difundido no coração de todos os batizados. “Um sacerdócio do Amor”, sublinhou o cardeal Ouellet, “exercido por toda a comunidade eclesial, é animado e apoiado por uma variedade de vocações ao amor, em diferentes formas e cores que se complementam”, entre sacerdotes e leigos e entre mulheres e homens religiosos de diferentes carismas.

Formação e vocação

Dentre os temas abordados, sublinhou o professor Vincent Siret, reitor do Pontifício Seminário Francês, em Roma, a formação dos futuros sacerdotes, com uma atenção particular à luta contra os abusos e o clericalismo, enquanto a professora Michelina Tenace, docente de Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana, reiterou a importância de refletir sobre as razões do celibato, entendido como “testemunho profético” no viver a vocação.

Cardeal Ouellet: a força dos cristãos é a comunidade

O importante, reitera o cardeal Ouellet ao Vatican News, é que todos os fiéis possam dar sua contribuição à comunidade.

Ouellet: A perspectiva é apoiar o chamado do Papa a uma Igreja sinodal, ou seja, uma Igreja onde todos participam a partir da força e do dom de seu Batismo, que significa o dom do Espírito Santo. Cada um tem algo a dar na comunidade porque existe este dom. Ninguém é descartado. Mesmo os menos "talentosos" têm estes dons, que devem ser acompanhados e ajudados. Este chamado quer despertar a fé no batismo e no dom do Espírito Santo e a partir daí sugerir iniciativas e incentivar a comunhão entre as vocações, o reconhecimento mútuo e a colaboração e não a oposição e o conflito. Todos nós precisamos da ajuda do Espírito Santo para superar momentos de tensão e encontrar formas de compreensão.

O senhor ressaltou a urgência deste Simpósio que vem não só das palavras do Papa, mas também dos últimos Sínodos, sobre a família e sobre a Amazônia.

Ouellet: Falamos sobre vocação e sinodalidade nos últimos Sínodos. No Sínodo sobre a Família houve uma consulta muito ampla, incluindo a participação dos jovens. O risco é que depois que isso acontece, o que é algo muito bonito, o entusiasmo caia e não haja acompanhamento. O Simpósio pretende prolongar a reflexão e suscitar um movimento vocacional, pois a vitalidade das comunidades depende disso. As comunidades atraem se elas tiverem uma vida de comunhão entre si. Esta é a força dos cristãos desde o início do cristianismo. Ao despertar comunidades mais vivas, nasce um movimento vocacional e, se espera, com uma eclesiologia trinitária desenvolvida hoje, no contexto atual, a partir dos fundamentos.

Este Simpósio é dedicado a todos, mas principalmente aos bispos. Por que e como isto se encaixa na luta contra o clericalismo?

Ouellet: Os bispos são os principais responsáveis pela vida de sua Igreja local e sabem da importância do papel dos sacerdotes e estão preocupados com a formação espiritual e humana dos sacerdotes para que se evitem estes desvios que também estão na vanguarda hoje, mas que esperamos superar não exclusivamente com a disciplina, mas com uma visão profunda que dê nova motivação, que dê nova energia e entusiasmo que façam nascer novas vocações.

13 abril 2021, 10:48