Busca

Vatican News
Missão da Rádio Vaticano foi enaltecida por personalidades e instituições Missão da Rádio Vaticano foi enaltecida por personalidades e instituições 

Rádio Vaticano: as felicitações pelos 90 anos

Da Ucrânia à África, de parceiros e instituições, a Rádio Vaticano recebeu felicitações e votos de longa vida ao festejar seus 90 anos de fundação no dia 12 de fevereiro.

Alessandro Di Bussolo – Cidade do Vaticano

As felicitações pelos 90 anos da Rádio Vaticano chegaram ao Prefeito Paolo Ruffini e ao Dicastério para a Comunicação da Santa Sé de todo o mundo e de todas as formas, desde cartas de papel a tuítes. 

O Arcebispo-mor Kyiv-Halyč Sviatoslav Shevchuk, líder da Igreja greco-católica ucraniana, recorda que a emissora pontifícia desempenhou um papel importante "no momento da perseguição comunista" para os fiéis da sua Igreja, que "encontraram apoio espiritual e comunhão com a Igreja universal na escuta das frequências da Rádio Vaticano em ucraniano". E define como "verdadeiramente impressionante" o caminho percorrido pela "rádio do Papa" nestes 90 anos, durante os quais "a Palavra do Senhor é anunciada em todos os cantos do planeta, a voz do Evangelho é ouvida em 41 línguas e a mensagem cristã chega a diferentes povos do mundo".

O Arcebispo Raphael Minassian, ordinário da Igreja armeno-católica da Armênia, Rússia, Ucrânia, Geórgia e Europa Oriental, define a Rádio Vaticano uma "voz da verdade no mundo". E felicita o lançamento da Web Rádio, "onde também a redação armênia, da qual fiz parte nos primeiros anos, continua a dar a sua valiosa contribuição na divulgação da mensagem evangélica no mundo e atuando como ponte entre a Igreja universal e as Igrejas armênias espalhadas por todas as partes do mundo".

A voz da África no mundo

O Bispo nigeriano Emmanuel Adetoyese Badejo, presidente do Comitê Episcopal Pan-Africano para a Comunicação, em nome do Simpósio das Conferências Episcopais de África e Madagáscar (Secam), sublinha que nestes 90 anos a Igreja africana tem desfrutado em primeira mão dos serviços desta "jóia da comunicação pastoral e da evangelização" há mais de setenta anos. Décadas durante as quais não só as vozes e ações dos Papas, da Igreja universal e das Igrejas em outros continentes foram transmitidas a milhões de africanos, mas também "a voz e as experiências da Igreja na África atingiram audiências em todo o mundo". Uma colaboração que continua todos os dias. 

Embaixadas junto da Santa Sé também se manifestaram, assim como inúmeras instituições. A União Europeia de Radiodifusão (EBU) enviou os seus melhores votos ao seu membro e recordou o marco da radiodifusão em 41 línguas, e Signis Africa, através do seu Presidente Walter C. Ihejirika, sublinha que através da Rádio Vaticano "a voz do Papa continua a ser ouvida nos lares de muitas famílias africanas com os tons tranquilizadores do bom pastor, dando encorajamento e esperança e, sobretudo, convidando todos os seres humanos a construir um mundo interligado.

14 fevereiro 2021, 09:22