Busca

Vatican News

Natal no Vaticano: presépio da Itália e árvore da Eslovênia a partir de 11 de dezembro na Praça São Pedro

A data é a oficial de inauguração da tradicional decoração de Natal no Vaticano. A cerimônia, realizada de acordo com as limitações impostas pela pandemia, acontece na tarde de 11 de dezembro porque, pela parte da manhã, as delegações provenientes de Castelli, da província de Teramo, na Itália, e da própria Eslovênia que irão presentear o Papa com o presépio e a árvore de Natal, respectivamente, serão recebidas em audiência pelo Pontífice. A decoração natalina na Praça São Pedro ficará exposta até 10 de janeiro.

Gabriella Ceraso, Andressa Collet - Vatican News

Um sinal de esperança e confiança para o mundo na certeza de que Jesus vem em meio ao seu povo para salvá-lo e consolá-lo. Esta é a mensagem importante que ainda mais em tempo de emergência sanitária quer expressar a decoração de Natal prevista para a Praça de São Pedro neste ano. A tradicional inauguração e iluminação da árvore de Natal estão programadas para sexta-feira, 11 de dezembro, às 16h30 na Itália (12h30 no Horário de Brasília), de acordo com as limitações impostas pela pandemia.

No mesmo dia, pela parte da manhã, as delegações provenientes de Castelli, da província de Teramo, na Itália, e da cidade de Kočevje, na Eslovênia, que irão presentear o Papa com o presépio e a árvore de Natal, respectivamente, serão recebidas em audiência pelo Pontífice para a apresentação oficial. A decoração natalina na Praça São Pedro ficará exposta até 10 de janeiro, um domingo, e Festa do Batismo do Senhor.

O presépio italiano de cerâmica

A Itália e a Eslovênia, portanto, são os doadores da decoração deste ano. De Castelli, na província de Teramo, um centro para a cerâmica muito importante desde o século 16, vem o presépio com estátuas maiores do que o tamanho natural. Um símbolo cultural para toda a região de Abruzzo, mas também um objeto de arte contemporânea que tem raízes na própria produção local da cerâmica.

O trabalho conta com o talento de alunos e professores do Instituto de Arte "F.A. Grue", uma escola de ensino médio de design que, na década de 1965-1975, dedicou toda a atividade docente ao tema do Natal. Na Praça de São Pedro, portanto, serão expostas apenas algumas peças da frágil coleção composta por 54 estátuas. As imagens serão colocadas lateralmente a uma plataforma luminosa de cerca de 125 metros quadrados que envolve parte do obelisco com uma pequena inclinação. As esculturas irão representar: os Magos, o grupo da Natividade com o Anjo e a Sagrada Família.

Referências à arte antiga

No presépio há fortes referências à história da arte antiga, da arte grega à suméria, passando pela escultura egípcia. Além disso, nos objetos que enriquecem o presépio e no pentagrama com o qual as obras foram decoradas, encontra-se a memória da arte cerâmica local. Em algumas figuras, especialmente no uso da cor, pode-se perceber a experimentação e a renovação da arte cerâmica desenvolvidas naqueles anos na escola de design. A primeira exposição pública do presépio aconteceu na própria cidade italiana de Castelli, na igreja matriz em dezembro de 1965. Depois, no Natal de 1970, foi exposta em Roma e, alguns anos depois, inclusive em Jerusalém, Belém e Tel Aviv.

Árvore de Natal da Eslovênia

A Praça São Pedro também irá receber a majestosa árvore de Natal, popularmente conhecida como abeto-falso (peccio), de 28 metros de altura por 70 centímetros de diâmetro, que vem do sudeste da Eslovênia, exatamente do município de Kočevje, próximo ao Rio Rinža. A região de Kočevsko é um dos territórios eslovenos onde a natureza é mais exuberante e intacta: as florestas cobrem 90% do território. O abeto escolhido para a Praça São Pedro cresceu perto de Kočevska Reka, a 6 quilômetros da imponente floresta virgem de Krokar. Com aquela de Sneznik-drocle (na região de Notranjska), é a segunda floresta eslovena entre os 63 sítios de antigas florestas de faias primitivas na lista do Patrimônio Mundial da Unesco.

Símbolo de fertilidade e tradição popular

O abeto se difundiu amplamente na Eslovênia na segunda metade do século 18 e é responsável por mais de 30% dos recursos florestais, além de ser a espécie arbórea mais importante do ponto de vista econômico. Tem sido um símbolo de fertilidade desde os tempos antigos e, na tradição popular, é frequentemente usado para cerimônias como a festa de 1º de maio ou as solenidades de Natal. Para a festa de São Jorge, na região de Bela Krajina, era tradição levar em procissão um abeto, decorado com flores e tecidos.

O maior da Europa está na Eslovênia

O abeto mais alto da Europa (o "Sgermova smreka") mede 61,80 metros e está localizado justamente na Eslovênia, no maciço de Pohorje. A árvore tem cerca de 300 anos, um perímetro de 3 metros e 54 centímetros, com um diâmetro de mais de um metro.

30 outubro 2020, 13:44