Busca

Vatican News
Guardas Suíços, átrio da Basílica de São Pedro, Vaticano Guardas Suíços, átrio da Basílica de São Pedro, Vaticano 

Uma casa ecológica para os Guardas Suíços e suas famílias

Foi apresentado ao Papa Francisco o projeto para o quartel que será construído de acordo com critérios de sustentabilidade ambiental e que substituirá a sede atual, permitindo acolher também os familiares. Será financiado por uma Fundação Suíça.

VATICAN NEWS

“A minha vida seria impensável sem a Guarda Suíça. Está sempre comigo, dia e noite. O seu profissionalismo, disciplina, discrição, confiabilidade e cortesia me enchem de um grande sentimento de gratidão. São homens jovens com uma vida cotidiana de disciplina que trabalham 24 horas por dia para salvaguardar a minha segurança. Por isso, é extremamente importante que no Vaticano, que está se tornando cada vez mais uma segunda pátria para suas esposas e filhos, eles tenham disponíveis alojamentos modernos e ao mesmo tempo seguros.” Estas são as palavras do Papa Francisco escritas na apresentação do projeto para o novo quartel da Guarda Suíça.

Ouça e compartilhe

O presidente da Fundação para a Restauração do Quartel da Guarda Suíça, Jean-Pierre Roth, o comandante, Christoph Graf, os arquitetos, Pia Durisch e Aldo Nolli, e uma delegação da Fundação estiveram em audiência com o Papa na manhã desta sexta-feira, 2 de outubro. “O Papa nos encorajou e nos disse para prosseguir com o projeto”, explica Roth, “e é isso que pretendemos fazer não obstante os tempos difíceis em que vivemos. Estamos confiantes de que encontraremos os fundos para o novo quartel através de doadores e fundações. É importante que os guardas possam viver no Vaticano com suas famílias e que aqueles que desejam se casar não sejam obrigados a ir morar fora”.

O atual quartel mostra claramente os sinais de envelhecimento: “Está degradado e não oferece mais a estrutura e os equipamentos necessários para acolher os Guardas em condições conforme as normas vigentes”, escreve o secretário de Estado Vaticano, cardeal Pietro Parolin, numa carta de agradecimento à Fundação e aos doadores. Mas, acima de tudo, o atual quartel se tornou pequeno demais para abrigar os Guardas, impossibilitando o acolhimento de familiares.

Por isso, nasceu a Fundação presidida por Roth, a fim de encontrar doadores que pudessem contribuir para a realização do projeto, fazendo do Vaticano “uma segunda pátria” não só para os soldados que, com seus uniformes coloridos e fascinantes, defendem o Papa e guardam as entradas do Estado e do Palácio Apostólico, mas também para suas esposas e filhos. A necessidade de espaço aumentou cerca de 30% devido à mudança das normas sobre o matrimônio que se tornaram menos rígidas. Após um cuidadoso estudo arquitetônico, foi calculado que é impossível obter o espaço necessário simplesmente reestruturando o prédio atual. Será construído um edifício completamente novo no mesmo local.

A ocasião de uma nova construção será uma oportunidade de experimentar técnicas de construção eco-sustentáveis. “O respeito pelo meio ambiente será central”, explica a arquiteta Pia Durisch, “de acordo com o que o Papa Francisco escreveu na Encíclica Laudato si', cujo quinto aniversário é comemorado este ano. Reciclaremos o material de demolição transformando-o em concreto e a nova construção terá uma certificação ecológica”. Será “uma estrutura sóbria”, acrescenta o arquiteto Aldo Nolli, “que precisará de pouca manutenção e utilizará materiais simples”.

“Estou convencido de que o novo edifício facilitará o recrutamento de jovens suíços entusiasmados em servir o Papa”, disse o comandante da Guarda Suíça Pontifícia, Christoph Graf.

02 outubro 2020, 13:25