Busca

Vatican News
Franciscanos saindo da Igreja do Santo Sepulcro Franciscanos saindo da Igreja do Santo Sepulcro  (AFP or licensors)

Ordem Equestre do Santo Sepulcro coleta 3 milhões euros para Patriarcado Latino

Um precioso concurso de solidariedade que mais uma vez testemunhou a finalidade institucional da Ordem, ou seja, "apoiar a Igreja mãe de Jerusalém, as escolas que administra e as iniciativas caritativas e sociais" com subvenções específicas, graças também à contribuição de trinta mil entre Damas e Cavaleiros que fazem parte da organização.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Apesar das difíceis condições existentes a nível global, a generosidade nunca cessou. É o que destaca a Ordem Equestre do Santo Sepulcro ao anunciar que desde maio passado foram arrecadados cerca de três milhões de euros em favor do Patriarcado de Jerusalém dos Latinos, além da ajuda ordinária programada para cada mês, para atender às necessidades humanitárias dos fiéis gravemente afetados pela crise de saúde e econômica na Terra Santa causada pela pandemia. Destes, 2 milhões são destinados especificamente para o fundo de apoio humanitário Covid-19, enquanto o milhão restante foi destinado ao financiamento de despesas humanitárias genéricas, onde o valor previsto no orçamento no início do ano era muito menor.

Um precioso concurso de solidariedade - observa o comunicado de imprensa - que mais uma vez testemunhou a finalidade institucional da Ordem, ou seja, "apoiar a Igreja mãe de Jerusalém, as escolas que administra e as iniciativas caritativas e sociais" com subvenções específicas, graças também à contribuição de trinta mil entre Damas e Cavaleiros que fazem parte da organização.

Em Jerusalém, Belém, Nazaré, Tiberíades, Ein Karem e no Monte Tabor, as casas para peregrinos dos franciscanos na Terra Santa estão desoladas e vazias devido à pandemia do coronavírus que bloqueia grupos e comitivas. Também a elas foi destinada a intervenção de apoio econômico, com mais ajudas provenientes da Coleta para a Terra Santa realizada este ano em 13 de setembro.

“Na verdade, não existe nenhuma região do mundo que não tenha sido afetada, em maior ou menor grau, pela Covid-19. A Terra Santa, que encontra a linfa para a economia de milhares de famílias nas peregrinações religiosas e no turismo, também foi gravemente afetada”, recordou o Grão-Mestre da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém, cardeal Fernando Filoni, especificando como esta iniciativa se insere em um contexto de fraternidade que ecoa o Documento sobre a Fraternidade Humana em prol da Paz Mundial e da Convivência Comum, assinado em 4 de fevereiro de 2019 em Abu Dhabi pelo Papa Francisco e pelo Grão Imame de Al-Azhar, Ahmed Al-Tayyeb. Uma resposta concreta de fraternidade aberta que não exclui ninguém, como comprova a presença nas escolas da Ordem de alunos cristãos e muçulmanos, acrescentou o purpurado.

“Nos dias do lockdown - explicou por sua vez o governador-geral da Ordem do Santo Sepulcro, Leonardo Visconti di Modrone - chegamos aos responsáveis dos lugares-tenentes que, não obstante tivessem que fazer frente às necessidades decorrentes da emergência sanitária em seus países, queriam fazer sentir sua proximidade com os irmãos e irmãs da Terra Santa tão duramente atingidos. Agradecemos que o apoio especial para o fundo Covid-19 não tenha substituído o regular compromisso de nossos membros em contribuir para a vida diária da Diocese de Jerusalém, mas tenha se somado a esse”.

As contribuições enviadas à Terra Santa permitiram responder prontamente a uma série de necessidades urgentes, reiterou no documento o diretor do Escritório de Comunicação da Ordem, François Vayne, que relatou as palavras do diretor administrativo do Patriarcado Latino de Jerusalém, Sami El-Yousef, que descreve sucintamente as ações realizadas: “Graças à ajuda recebida da Ordem para fins humanitários, pudemos apoiar mais de 2.400 famílias em mais de trinta paróquias em suas necessidades básicas em termos de vales para compra de alimentos, produtos de higiene e produtos infantis, remédios e pagamento de contas”.

Tudo isto em colaboração com os párocos e conselhos paroquiais, precisou, que em conjunto com as autarquias locais, garantiram uma distribuição equitativa dos recursos, apresentando um relatório pormenorizado de todas as ajudas distribuídas. Além disso, continuou El Yousef, "1.238 famílias na Jordânia e 1.180 famílias na Palestina foram ajudadas a pagar as taxas escolares".

A situação na Terra Santa, como em vários outros países, continua a ser crítica e, nas próximas semanas e meses, os fundos enviados continuarão a ser usados ​​para não abandonar aqueles que continuam a se encontrar em situação de necessidade.

“Graças ao apoio do Grão-Mestre em cooperação com o Grande Magistério - são as palavras de agradecimento do arcebispo Pierbattista Pizzaballa, administrador apostólico do Patriarcado de Jerusalém dos Latinos - o nosso apelo teve uma resposta que superou as expectativas e que deu-nos o espaço necessário para respirar para gerir esta emergência com maior serenidade. Todos nós ficamos maravilhados e impressionados com a resposta imediata e pela sua dimensão”.

L’Osservatore Romano

24 setembro 2020, 08:24