Busca

Vatican News

Reconhecido o milagre da Serva de Deus Pauline Jaricot: a alegria das POM

O Papa autorizou a promulgação do Decreto relacionado ao milagre atribuído à intercessão da Venerável Serva de Deus Pauline Marie Jaricot – fundadora das Obras do “Conselho da Propagação da Fé” e do “Terço Vivo”. A leiga francesa intuiu que o problema da cooperação missionária não era ajudar esta ou aquela missão, mas todas, sem distinção. Com ela teve início o grande movimento de cooperação missionária que gradualmente passou a envolver toda a Igreja

Cidade do Vaticano

Ouça e compartilhe

“É um momento de grande alegria para as Pontifícias Obras Missionárias no mundo inteiro. Estamos imensamente felizes porque a Congregação das Causas dos Santos publicou o reconhecimento do milagre atribuído à leiga francesa Pauline Jaricot, fundadora da Pontifícia Obra para a Propagação da Fé, a primeira das Pontifícias Obras Missionárias. Este é um passo muito importante: significa que seu compromisso com a missão, feita de oração e caridade, fala e ainda é significativo hoje para a Igreja no mundo inteiro.”

Foi o que declarou à agência missionária Fides o presidente das Pontifícias Obras Missionárias e secretário adjunto da Congregação para a Evangelização dos Povos, dom Giampiero Dal Toso, comentando a promulgação do Decreto da Congregação das Causas dos Santos.

Movimento de cooperação missionária envolve toda a Igreja

Na terça-feira, 26 de maio, o Santo Padre Francisco autorizou o prefeito da Congregação das Causas dos Santos, cardeal Angelo Becciu, a promulgar o Decreto relacionado ao milagre atribuído à intercessão da Venerável Serva de Deus Pauline Marie Jaricot – fundadora das Obras do “Conselho da Propagação da Fé” e do “Terço Vivo” –, nascida em 22 de julho de 1799 em Lyon, na França, e morta em 9 de janeiro de 1862.

“Nascida em Lyon num período de rápidas convulsões políticas e culturais, Pauline Marie Jaricot fundou em 1822 a Associação da Propagação da Fé, com a característica da universalidade.”

Intuiu que o problema da cooperação missionária não era ajudar esta ou aquela missão, mas todas, sem distinção. Com ela teve início aquele grande movimento de cooperação missionária que gradualmente passou a envolver toda a Igreja.

Eficácia da obra missionária é exclusivamente de Deus

Apaixonada pela difusão do Reino de Deus, tinha firmemente a convicção de que a obra missionária não obtinha a sua eficácia dos recursos humanos, mas exclusivamente de Deus.

Por conseguinte, fundou em 1826 o movimento do “Terço Vivo”: grupos de pessoas aos quais todo mês, após a Eucaristia, era confiado um Mistério do Terço a ser rezado pelas missões. Não tendo faltado a cruz em sua existência, passou o último período da sua vida em absoluta pobreza. Em 25 de fevereiro de 1963 o Papa São João XXIII a declarou Venerável.

28 maio 2020, 10:49