Busca

Vatican News

Visita ad Limina do Regional Centro-Oeste da CNBB

A Rádio Vaticano – Vatican News conversou com alguns dos bispos brasileiros em visita ad Limina.

Silvonei José – Cidade do Vaticano

Prossegue no Vaticano a visita ad limina dos bispos do Regional Centro-Oeste da CNBB (Distrito Federal, Goiás), que teve início nesta segunda-feira, dia 10 e se encerra no dia 17 de fevereiro. Esta visita ocorre a cada cinco anos, quando os bispos se encontram com o Papa, visitam os túmulos dos Apóstolos Pedro e Paulo, em Roma, e têm reuniões nos vários Dicastérios da Santa Sé. No Brasil, a visita é dividida por regionais e o Regional Centro-Oeste é o primeiro a cumprir este compromisso. Será o Regional Sul 4, em outubro, a encerrar as visitas.

No encontro com o Papa, os bispos apresentam um relatório sobre o estado pastoral das dioceses e ouvem seus conselhos. A visita ad Limina, para as Igrejas diocesanas é ocasião para consolidar os vínculos de fé, de comunhão e de disciplina com a Igreja de Roma. O encontro com o Papa ocorreu na manhã desta terça-feira, dia 11 de fevereiro.

A Rádio Vaticano – Vatican News conversou com alguns dos bispos brasileiros em visita ad Limina.

Dom José Francisco Rodrigues do Rêgo - Bispo de Ipameri

Ouça a entrevista

Que experiência é essa de estar junto com o senhores bispos do Regional Centro-oeste em visita ad Limina?

É uma experiência bonita de comunhão. Nós do episcopado, do nosso regional Centro-oeste, agora aqui, junto aos pés de Pedro, é uma experiência bonita de comunhão, de eclesialidade. Uma experiência de viver a sinodalidade tão falada pelo Santo Padre, caminhar juntos, somos Igreja. Estamos unidos ao Santo Padre e queremos também que a nossa igreja diocesana, no caso a de Ipameri, como também o nosso Regional, experimente assim uma comunhão forte, uma experiência de troca de experiência, de unidade e de muita Fraternidade entre nós.

P. Que  realidade de Ipameri o senhor está trazendo também para Roma?

A alegria do nosso povo, a experiência da religiosidade popular do nosso povo e a comunhão que nós temos com o Santo Padre o Papa.

P. Como é a sua diocese, como o senhor a definiria em poucas palavras?

Na verdade eu tenho poucos dias… estou ali na verdade há uns seis meses eu fui ordenado bispo e tenho conhecido uma comunidade muito viva, muito alegre, um povo muito piedoso e de um amor profundo à Virgem Maria e à adoração a Eucarística e entorno da palavra de Deus.

P. E como é o pastor desse rebanho?

Eu estou aprendendo, sou um padre que vivia os 27 anos de ministério e como fui como padre eu procuro ser na medida do possível o melhor possível como o bispo, estando perto das pessoas, do nosso povo, e conhecendo sobretudo as realidades e dando sempre a palavra à juventude, aos casais, e a segurança que nós temos que é da igreja. Então o bispo não traz projeto novo, o bispo não traz um plano pessoal mas segue aquele que é da Igreja, riqueza da Igreja.

Dom Nélio Domingos Zortea - Bispo de Jataí

Ouça a entrevista

P. Essa experiência de estar junto com os bispos do centro-oeste na visita ad Limina?

É muito significativa dado às distâncias que temos no nosso Regional, as dioceses que tem um amplo território e as dificuldades de deslocamento também para esses encontros,  mesmo assim procuramos cultivar esta harmonia e esta proximidade entre os bispos, sobretudo a amizade e também conversarmos sobre assuntos importantes que fazem parte do cotidiano do bispo, em cada diocese. E nesta partilha e como bons colaboradores procuramos sempre nos ajudar uns aos outros; e além das reuniões do regional que temos, mas também com essas visitas e proximidade. Este é o esforço dos bispos para poder manter esta proximidade uns com os outros e colaborar sempre com a igreja seguindo a igreja na unidade.

P. Que Igreja os senhores estão trazendo ao Santo Padre?

Nós estamos trazendo uma igreja que está sempre disponível ir ao encontro das pessoas, a fortalecer sempre mais as pastorais e fazer com que as pessoas busquem aquilo que o Papa está insistindo. Não encher tanto de atividades mas buscar a santificação, a santidade, é por meio disso que torna uma igreja mais fiel, mais consistente na pessoa de Jesus Cristo.

P. Desafios…

Muitos… as distâncias, as questões vocacionais,  também a perseverança do  próprio clero; nos deparamos com situações, e isso faz parte de um pouco das situações humanas em que vivemos, essa vulnerabilidade. As vezes as pessoas estão disponíveis,  amanhã já começam a criar dúvidas e incertezas e as dificuldades de persistência no mesmo trabalho, na vocação. Isso nos deparmos nos ambientes das empresas com o trabalho profissional. Esta mudança também nos deparamos com a persistência no matrimônio. Percebemos isso também na escolha vocacional e também nas escolhas de opções; também nos próprios cursos universitários. O jovem começa e muda de curso ou desiste, começa um trabalho e desiste, está disponível à dimensão vocacional e de repente aparecem outras situações. Então esta vulnerabilidade que nos deparamos na sociedade assim como um todo, é um desafio que temos e no fundo nos deparamos e voltamos a origem, à família. A boa estruturação familiar ajuda na boa estruturação da personalidade, nas convicções, nos valores.

Dom Moacir Silva Arantes - Bispo Auxiliar de Goiânia

Ouça a entrevista

Dom Moacir, é a sua primeira visita ad Limina?

Visita ad Limina sim, eu já estive antes aqui no curso para os novos bispos 3 anos atrás mas como visita de Lima é a primeira vez.

P. Que experiência é essa?

É uma experiência de vivenciar primeiro esta unidade da igreja como um só corpo, um só organismo, cada um na sua função, cada um como se diz, na lavoura do Senhor fazendo a sua parte, mas cuidando de um todo, e esta partilha de informações, de experiência que nós já tivemos até agora nas congregações, nos Dicastérios, são muito importantes para nós para percebemos que de fato onde nós estivermos nós levamos a mesma e única mensagem de Nosso Senhor Jesus Cristo, fazemos parte da mesma e única Igreja de Cristo, e que temos a mesma e única responsabilidade de testemunhar o Evangelho de Nosso Senhor.

P. Colegialidade…

Exatamente esta é a palavra. Nós fazemos parte de um colégio nós fazemos parte não de uma estrutura simplesmente, mas de um corpo que está a serviço a serviço de Nosso Senhor movido pelo Espírito Santo.

P. Nesses primeiros passos nesta visita ad Limina, o senhor chamaria a atenção para algum momento em especial?

A organização da visita, o acolhimento nas congregações nos dicastérios, a amabilidade das pessoas para conosco, e também essa participação dos bispos, essa fraternidade, esta amizade que vai crescendo cada vez mais na convivência.

 

 

11 fevereiro 2020, 16:51