Busca

Vatican News
Cardeal Fernando Filoni no Sri Lank, visita igreja atacada por terroristas no Domingo da Páscoa de 2018  Cardeal Fernando Filoni no Sri Lank, visita igreja atacada por terroristas no Domingo da Páscoa de 2018  

Cardeal Filoni despede-se de Propaganda Fide: hoje é o tempo da missão 'inter gentes'

O cardeal Fernando Filoni havia sido nomeado prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos em 10 de maio de 2011, sucedendo ao cardeal Ivan Dias, que havia renunciado por limite de idade. Em 26 de junho de 2018, o próprio Papa Francisco, derrogando aos cânones 350 §§ 1-2 e 352 §§ 2-3 do Código de Direito Canônico, elevou-o à ordem dos cardeais bispos, com efeitos a partir de 28 de junho.

Cidade do Vaticano

"Atualmente, em todo o mundo, há necessidade de uma renovada proclamação do Evangelho, não somente nos tradicionais 'territórios missionários', mas também nos continentes de antiga evangelização. Da missão ad gentes, hoje é o tempo da missão inter gentes. Todo batizado é um missionário. E se no passado o anúncio do Evangelho era uma atribuição somente de sacerdotes e religiosos, hoje notamos uma participação extraordinária dos leigos, quer individualmente, quer como membros de movimentos e grupos eclesiais: entre eles - novidade despertada pelo Espírito Santo – há também casais de cônjuges e famílias com filhos que participam fervorosamente da obra de evangelização: este é um grande motivo de esperança”.

Ouça e compartilhe

Foi o que afirmou à Agência Fides o cardeal Fernando Filoni, que neste 15 de janeiro conclui seu mandato à frente do Dicastério de "Propaganda Fide", do qual permanece como "Prefeito Emérito", para iniciar seu serviço como Grão-Mestre da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém.

O cardeal, em sua despedida, quis recordar "a grande responsabilidade da Congregação em relação a mais de 1.200 circunscrições eclesiásticas na África, Ásia, Oceania, América", explicando que, precisamente para "entrar em contato com as jovens Igrejas", em quase nove anos à frente do Dicastério missionário, realizou cerca de 50 viagens, ocasião propícia para encontrar e escutar as Igrejas locais, a fim de "mostrar a elas a atividade da Congregação e, ao mesmo tempo, entender suas exigências". Essa escuta foi funcional na obra principal de "Propaganda Fide", a de nomear bispos e vigários apostólicos nas dioceses dos territórios sob sua jurisdição, para "intuir que tipo de pastor cada comunidade espera".

 

O prefeito emérito voltou a enfatizar o precioso trabalho de formação realizado pela Congregação para a Evangelização dos Povos que, graças ao apoio das Pontifícias Obras Missionárias, distribuiu anualmente mais de 600 bolsas de estudos a seminaristas, sacerdotes e religiosas das jovens Igrejas, e cuida do apoio à atualização para os novos bispos, os reitores e os professores dos seminários dos territórios de missão, organizando cursos pertinentes em Roma.

Diante da queda das ofertas coletadas por ocasião do Dia Mundial das Missões, que permitem às Pontifícias Obras Missionárias apoiar milhares de projetos em todo o mundo, o cardeal Filoni lançou um apelo: "Se cada batizado doasse o equivalente a apenas um dólar por ano para as missões, se poderia responder às expectativas e às necessidades de vastas populações pobres".

Na conclusão do mandato do cardeal, o arcebispo Giampietro Dal Toso, secretário-adjunto da Congregação para a Evangelização dos Povos e presidente das Pontifícias Obras Missionárias, saudou-o com as seguintes palavras: "Em seu trabalho, o senhor nos deu segurança. O trabalho do Prefeito de Propaganda Fide não é de modo algum fácil, em particular é confiada a esta Congregação uma missão muito delicada, a de proporcionar sucessão apostólica. Nesta tarefa, nos sentimos confiantes de sua experiência, de seu discernimento, fruto de uma escuta atenta, de sua sabedoria, que guiou suas escolhas, também em situações extremamente complicadas. Esta guia segura tem seu peculiar fundamento em uma atitude de vida que não posso ignorar: sua abnegação, isto é, dizer "não" a si mesmo para servir mais livremente a Igreja".

Dom Dal Toso, com uma tradicional felicitação do sul do Tirol: "Vergelt's Gott", isto é, "Que Deus o recompense", acrescentou: "Deus o retribua em consolação, bênção, companhia, todo o bem que fez e quis para as missões deste seu ofício".

(PA - Agenzia Fides )

15 janeiro 2020, 08:23