Busca

Vatican News
Autoridade de Informação Financeira - AIF Autoridade de Informação Financeira - AIF  (Vatican Media)

Barbagallo: confiança na AIF, revogada a suspensão por parte de Egmont

O Grupo Egmont revogou a suspensão em relação à Autoridade de Informação Financeira no Vaticano. O presidente Barbagallo: a decisão permite a retomada da colaboração com as Unidades de Inteligência Financeira de outros países.

Silvonei José - Cidade do Vaticano

"Tenho o prazer de anunciar que ontem à noite o presidente de Egmont, Mariano Federici, revogou a decisão de suspender a Autoridade de Informação Financeira (AIF) do circuito de informação internacional "Egmont Secure Web", tomada em 13 de novembro de 2019". Foi o que declarou Carmelo Barbagallo, presidente da Autoridade de Informação Financeira, especificando que a decisão "de grande importância", atesta "a confirmada confiança da alta administração de Egmont no sistema de informação financeira do Vaticano".

Regras claras

"A decisão - continua Barbagallo -, segue os esclarecimentos prestados pela AIF a Egmont sobre as circunstâncias de natureza excepcional relativas aos fatos que deram origem à ordem de suspensão, bem como às garantias dadas pela AIF de que o tratamento das informações recebidas pelo circuito Egmont será, também graças à assinatura de um protocolo de entendimento com o Promotor de Justiça, totalmente coerente com as regras que regem este circuito".

Transparência e cooperação

Esta decisão de revogar a medida de suspensão, especifica o presidente da AIF, "permite retomar a colaboração com as Unidades de intelligence Financeira dos outros Países com total transparência e com um espírito totalmente cooperativo".

Há sete anos no grupo Egmont

Em julho de 2013, a AIF foi admitida no Grupo Egmont, o fórum global que atualmente reúne unidades de informação financeira de 152 países e jurisdições e no contexto do qual são compartilhadas regras e boas práticas de colaboração e troca internacional de informações. Após a investigação, no passado dia 1º de outubro, na sede da AIF por parte da Gendarmaria do Vaticano, a pedido do Promotor de Justiça contra alguns funcionários do Vaticano, o Grupo Egmont tinha notificado que não sendo - na sua opinião –, garantida a confidencialidade das comunicações das Unidades de Informação Financeira, contraparte exterior da AIF, esta última foi suspensa dos canais de comunicação dentro do Grupo. Uma situação que, como anunciado hoje, foi agora totalmente remediada.

 

23 janeiro 2020, 17:31