Cerca

Vatican News
Participantes do "Winds of Peace 2019" Participantes do "Winds of Peace 2019" 

Jovens pela paz na zona desmilitarizada entre as Coreias

Esta oitava edição da iniciativa acolhe jovens provenientes de 15 países. Junto a eles, há também oito missionárias, beneditinas e salesianas. "Espero que vocês possam entender o quanto a paz é importante em nossas vidas", disse o arcebispo de Seul, cardeal Andrew Yeom Soo-jung.

Cidade do Vaticano

Mais de 90 jovens de 15 países participam da iniciativa Wind of Peace 2019  ("Vento da Paz 2019"), uma peregrinação de seis dias à Zona Desmilitarizada (DMZ) - na fronteira entre as duas Coreias - para pedir paz para o mundo e para a península coreana.

Ouça e compartilhe!

Em sua oitava edição, a iniciativa foi aberta em 16 de agosto, sendo organizada pelo Comitê para a Reconciliação do Povo Coreano da Arquidiocese de Seul, com o apoio do Ministério da Cultura, Esporte e Turismo e aquele da Unificação. Neste ano tomam parte oito irmãs salesianas e beneditinas de Tutzing.

O percurso pela"Estrada da Paz"

 

Os peregrinos percorrerão a pé um trajeto que atravessa os  Condados de Go-seong, Yang-ku, Cheol-won e Yeon-cheon. O itinerário inclui a trilha de Haeparang-gil, as cachoeiras de Dutayeon e o Observatório da Paz. Para a edição de 2019, os organizadores também acrescentaram ao percurso a "Estrada da Paz da DMZ de Cheol-won", recentemente aberta ao público.

Além das caminhadas, está prevista uma ampla gama de atividades: lições, experiências, apresentações, discussões, programas comunitários e testemunhos de jovens refugiados norte-coreanos, mas também Missas, momentos de oração e procissões luminosas.

Na segunda-feira, 19 de agosto, o  arcebispo de Seul, cardeal Andrew Yeom, e Dom Alfred Xuereb, núncio apostólico na Coreia e na Mongólia, concelebraram uma Missa e encontraram-se com os jovens peregrinos.

Entender a importância da paz

 

Durante a cerimônia de abertura, o cardeal Yeom disse aos participantes, esperar  “que possam entender o quanto a paz é importante em nossas vidas. Como o Papa Francisco sempre enfatizou, devemos descobrir a maneira harmoniosa de conviver com a terra, a Mãe Natureza, que é a nossa "casa comum". Rezo sinceramente para que, neste tempo precioso, vocês possam se reconciliar consigo mesmos, com seus vizinhos, com o ambiente e, por fim, com Deus ”. (Agência Asia News)

20 agosto 2019, 08:18