Cerca

Vatican News
Equipes de peritos realizam investigações e túmulos no Cemitério Teutônico Equipes de peritos realizam investigações e túmulos no Cemitério Teutônico  (ANSA)

Realizadas novas investigações no Campo Teutônico, no Vaticano

Foram realizadas neste sábado novas investigações no Cemitério Teutônico, no Vaticano, no âmbito do Caso Orlandi. A Sala de Imprensa da Santa Sé informou que amanhã, domingo, serão retomados os trabalhos de análise do material encontrado, na presença do perito de confiança designado pela família Orlandi.

Amedeo Lomonaco - Cidade do Vaticano

A Sala de Imprensa da Santa Sé anunciou na tarde deste sábado que “as operações no Campo Santo Teutônico foram concluídas para o dia de hoje [sábado], no âmbito das investigações do caso Orlandi. O prof. Giovanni Arcudi, assistido por sua equipe - na presença do perito de confiança nomeado pela Família Orlandi - realizou a análise morfológica de uma parte dos achados, encontrados nos ossuários”. As análises terão continuidade neste domingo, 28 de julho, a partir das 9 horas.

Ouça e compartilhe!

Novas investigações haviam sido iniciados na manhã deste sábado, quando foram realizadas operações de identificação e análise morfológica de materiais encontrados em algumas sepulturas, abertas no âmbito da investigação sobre o desaparecimento no centro de Roma de Emanuela Orlandi, filha de um funcionário do Vaticano, em 22 de junho de 1983.

Exames em andamento para datar o material encontrado

 

Na manhã deste sábado, o prof. Giovanni Arcudi, auxiliado por sua equipe, iniciou a análise morfológica do material encontrado. Trata-se de "ossos, fragmentos ósseos ou ossos fragmentados".

"A análise – lê-se no comunicado da Sala de Imprensa divulgado no final da manhã - será realizada de acordo com protocolos internacionalmente reconhecidos, em particular identificando os elementos, na estrutura óssea, úteis para diagnosticar a datação dos achados".

 

Trabalharam neste sábado nas investigações no Campo Santo Teutônico,  além do prof. Arcudi e sua equipe, a equipe da Fábrica de São Pedro e do Centro Operacional de Segurança da Gendarmaria do Vaticano (Cos).

Presentes também o advogado e o perito nomeado pela família Orlandi e o oficial encarregado da Polícia Judiciária do Corpo de Gendarmaria do Vaticano.

Operações e análises

 

A operação deste sábado é uma nova fase nas investigações. E hoje mesmo teve início a análise morfológica das descobertas contidas nos ossuários.

No dia 11 de julho, haviam sido realizadas as operações de abertura dos túmulos de duas princesas, Sophie von Hohenlohe e Carlotta Federica de Mecklenburg, falecidas no século 19. Estes trabalhos foram realizados como parte das verificações relacionadas ao caso Orlandi. Nenhum resto humano foi encontrado nas investigações anteriores, nenhum vestígio de caixões ou urnas.

Sucessivamente, a Magistratura do Vaticano determinou a abertura de duas cavidades contendo ossos humanos.

Em 20 de julho, foram trazidos à luz os restos de dois ossários encontrados em uma área adjacente aos túmulos das princesas. 

O caso Orlandi

 

Emanuela Orlandi foi uma jovem que desapareceu misteriosamente em 22 de junho de 1983. Filha de um cidadão do Vaticano, funcionário da Prefeitura da Casa Pontifícia, na época do seu desaparecimento tinha 15 anos. Logo se tornou um dos casos mais obscuros da história italiana que ainda não foi resolvido e que envolveu uma série de instituições.

27 julho 2019, 11:42