Cerca

Vatican News
“Novas formas de vida consagrada” será um dos temas fundamentais da próxima Plenária da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedade de Vida Apostólica. “Novas formas de vida consagrada” será um dos temas fundamentais da próxima Plenária da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedade de Vida Apostólica. 

"O Espírito não se repete, mas é criativo", diz secretário do dicastério para a vida consagrada

Ao concluir o V Encontro das Novas Formas de Vidas Consagrada, o arcebispo José Rodríguez Carballo destacou a variedade de carismas e encorajou as novas formas de preservar essa rica diversidade.

Cidade do Vaticano

“Novas formas de vida consagrada” será um dos temas fundamentais da próxima Plenária da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica. Foi o que antecipou  no último sábado o secretário do dicastério, arcebispo José Rodríguez Carballo, na sessão conclusiva do  V Encontro Mundial das Novas Formas de Vida Consagrada.

Dom Carballo também levou aos presentes a saudação e a bênção do Papa Francisco, com quem havia falado horas antes, e demonstrado interesse pelo encontro, assim como pelas novas formas de vida consagrada.

Ouça e compartilhe!

Esta quinta edição do encontro teve lugar em Roma,  de 13 a 15 de junho, com 130 participantes provenientes de 22 países, para tratar do tema "Abrindo Caminhos: Consagração e os estados de vida nas novas formas de vida consagrada". Em relação aos encontros precedentes, estavam presentes 39 novas formas de vida consagrada ou famílias eclesiais.

Dom Carballho presidiu a sessão final, no qual se pronunciaram os representantes dos vários grupos de trabalho presentes.

A noção de consagração nos diferentes estados de vida, a comunhão na missão, os modos de pertença segundo o estado de vida e o termo "família eclesial" foram alguns dos temas fundamentais que nasceram dos debates.

Ademais, os grupos em que os participantes estavam distribuídos, refletiram sobre alguns conceitos propostos pelos palestrantes do Encontro: a consagração carismática, a cargo de Lourdes Grosso, m. id.; o termo "famílias eclesiais e relações entre estados de vida", proposto pelo padre Friedrich Bechina, fso; consagração como Aliança com Deus, aprofundado pelo padre José Cristo Rey García Paredes, cfm; e a comunhão missionária, analisada pelo padre  Rodrigo Moya, fmvd.

Dom Rodríguez Carballo avaliou muito positivamente a variedade de carismas como sinal do fato de que "o Espírito não se repete, mas é criativo", e encorajou as novas formas a preservarem essa rica diversidade.

O secretário do dicastério para a Vida Consagrada também apontou alguns aspectos a serem considerados nos trabalhos futuros das novas formas: o marco jurídico, a consciência de que a lei deve ajudar a vida; a comunhão eclesial; a relação com os fundadores e fundadoras; o sentido do serviço de autoridade, a noção de consagração e a importância da formação.

Na saudação inicial, padre Jesús Fernández, presidente do Instituto Cristo Redentor, disse que o que distingue as pessoas consagradas é a aspiração à união mística e à santidade, e que, para ajudar a Igreja a ser fermento de santidade, a vida consagrada deve ter autoridade moral.

Por sua vez, M. Margarete Binder, responsável internacional da família espiritual “A Obra”,  falou do encontro privado com o Papa Bento XVI,  que recomendou, em relação às "novas formas", não serem esquecidos três aspectos fundamentais:  paciência, perseverança e oração.

Por fim, padre Rodrigo Carrizo, presidente da Fraternidade Missionária Verbum Dei, disse que as novas formas são um caminho em construção que está se abrindo para as outras que virão no futuro.

As novas formas surgem a partir do século XX e compartilham traços comuns, como a acolhida de todos os estados de vida e o compromisso de responder aos desafios da nova evangelização.

 

17 junho 2019, 10:58