Cerca

Vatican News
Paolo Ruffini Paolo Ruffini  (Vatican Media)

Declarações de Paolo Ruffini, Andrea Tornielli e Andrea Monda

Paolo Ruffini: as nomeações de Andrea Tornielli, Diretor Editorial e do novo Diretor do "L'Osservatore Romano" Andrea Monda são dois passos importantes no processo de reforma da mídia vaticana

Cidade do Vaticano

Sobre as nomeações do diretor editorial do Dicastério para a Comunicação e do novo diretor do L’Osservatore Romano, publicamos abaixo as declarações de Paolo Ruffini, prefeito do Dicastério, Andrea Tornielli e Andrea Monda.

Declaração do Prefeito do Dicastério para a Comunicação, Dr. Paolo Ruffini

As nomeações do Diretor Editorial e do novo Diretor do L'Osservatore Romano são dois passos importantes no processo de reforma da mídia vaticana que me foi confiado pelo Santo Padre há alguns meses com a minha nomeação a Prefeito do Dicastério para a Comunicação.

Como disse o Papa disse, não devemos ter medo dessa palavra, reforma.

Reforma "não é pintar um pouco as coisas, mas organizá-las de outra maneira". Reconduzir à unidade a pluralidade das linguagens sem perder nada de sua especificidade e de suas histórias é a tarefa que todos os dia nos é confiada e que encontra na primeira carta de São Paulo aos Coríntios sua mais elevada referência para quem, como nós, em certo sentido, faz um trabalho artesanal. Um trabalho que encontra seu significado, sua raiz, sua seiva, na missão do anúncio. "Há diferentes atividades, mas é o mesmo Deus que realiza tudo em todos" (Primeira carta aos Coríntios, 12.6).

É necessário partir daqui. Esta era e continua sendo a nossa bússola.

Andrea Tornielli e Andrea Monda têm em comum serem jornalistas que olham para além da aparência das coisas, que sabem declinar a pluralidade das linguagens que caracterizam nosso tempo com a unidade de pensamento e das pessoas; que sabem aprofundar; que sabem ouvir. Ambos são além de jornalista, escritores. Ambos sabem falar a todas as gerações, portanto, também aos jovens. Ambos são construtores de pontes.

Com Andrea Tornielli, a Direção Editorial (a qual cabe a tarefa de coordenar toda a mídia vaticana) terá um guia seguro, competente e com visão de futuro; consciente seja da grande história que a mídia vaticana possui, seja do futuro e que somente não tendo medo pode ser construído juntos e não imediatamente.

Com Andrea Monda, o L'Osservatore Romano poderá continuar engajando novos projetos em sua história secular. O jornal da Santa Sé é um dos pilares da nossa comunicação, chamado a envolver-se cada vez mais no processo de integração do sistema de informação do Vaticano, conforme solicitado pelo Santo Padre no Motu Proprio que instituiu o Dicastério para a Comunicação.

Neste momento de passagem das tarefas, expresso minha gratidão ao Prof. Giovanni Maria Vian que, por um ciclo de mais de 11 anos, guiou "L'Osservatore Romano" com paixão e competência. Durante sua direção, o jornal da Santa Sé experimentou uma renovação em seu conteúdo, em sua linguagem, em sua forma gráfica. Particularmente significativo foi o diálogo cultural iniciado pelo jornal com figuras e realidades de alto nível, mesmo não eclesiais, que enriqueceram e ampliaram a oferta de conteúdo do jornal. Igualmente importante é a abertura da equipe de redação à contribuição de mulheres jornalistas, uma fecunda novidade na história de mais cem anos do jornal.

A escolha de Andrea Monda como novo diretor é um desafio e uma resposta ao apelo do Papa Francisco a ser "Igreja em saída", para "iniciar novos processos" também na comunicação. O Prof. Monda pôde comunicar a beleza do Evangelho e a riqueza da vida cristã em áreas e idiomas diferentes: da literatura à ensaios, da música à televisão. Como professor de religião, Monda também conhece bem as necessidades, preocupações e sonhos dos jovens de hoje. Experiência presente nos textos para a Via Crucis de 2018, confiada pelo Papa precisamente a Monda e a seus alunos.

Recordando o que o Papa ressaltou na última Mensagem para o Dia das Comunicações Sociais, desejo aos novos diretores e a todos os homens e mulheres do Dicastério um caminho fecundo, juntos, a serviço da Igreja, para promover um jornalismo "feito por pessoas para o pessoas e que é entendido como um serviço para todas as pessoas, especialmente para aquelas - são a maioria - que não têm voz ".

Declaração do Dr. Andrea Tornielli

"Sou grato ao Papa Francisco por esta nomeação, agradeço ao prefeito Paolo Ruffini por ter pensado em mim. A mídia da Santa Sé tem uma longa história: basta mencionar a importância que teve a Rádio Vaticana em muitas situações mais ou menos recentes do nosso passado. Essas mídias continuam transmitindo a mensagem dos Sucessores de Pedro e também a dar voz àqueles que não têm, graças a uma oferta em muitas línguas diferentes, única no mundo. Estou convencido de que existe uma necessidade crescente de um jornalismo que conte os fatos antes de comentá-los. Um jornalismo que, na época dos slogans, seja capaz de analisar a realidade levando sempre em conta todos os seus fatores. Procurarei colocar-me a serviço da articulada estrutura de informação da Santa Sé e do grande profissionalismo técnico e jornalístico que ela expressa, para ajudar a comunicar, com todos os meios e usando todas as plataformas, de maneira simples e direta, o magistério do Papa que - como demonstram as homilias diárias de Santa Marta - acompanha o povo de Deus em todas as partes do mundo».

Declaração do Prof. Andrea Monda

"Recebi a notícia da minha nomeação com um sentimento misto de alegria e temor, admiração e incredulidade e, acima de tudo, com imensa gratidão. Trabalho no jornalismo há mais de trinta anos e sempre me ocupei de questões culturais, religiosas e teológicas, sem excluir a particular área profissional chamada "vaticanismo", mas certamente não poderia imaginar ser chamado para dirigir o jornal da Santa Sé,  esse "singularíssimo” jornal como o definiu São Paulo VI apresentando-o (por ocasião do centenário de 1961), como "um jornal de ideias" que "não quer apenas dar notícias; quer criar pensamentos". E a primeira ideia que vem à mente é que "L'Osservatore Romano" é o jornal da Igreja e a Igreja é antes de tudo o povo de Deus. Portanto, partindo deste ponto, trata-se de corresponder com o espírito de serviço à grande confiança do Santo Padre dando-me a tarefa de contribuir - através da direção do "L'Osservatore Romano" – para a conclusão da reforma do sistema de Comunicação da Santa Sé confiada ao Prefeito Paolo Ruffini. Combinar de forma unificada e dinâmica a diversidade dos meios e a continuidade de suas histórias é o desafio diante de nós e que seria bom imaginar que um jornal importante e competente como "L'Osservatore Romano" possa ser um dia lido por jovens de todo o mundo que sonham com um bom jornalismo. Tem início para mim uma grande aventura que tenho o prazer de enfrentar junto com o novo Diretor Editorial, Andrea Tornielli, e com todos os meus colegas. Vou fazer a minha parte ao máximo a fim de continuar o trabalho realizado pelo Professor Vian e por todos os meus antecessores, confiante de poder dizer também que: "Consola-me o fato de que o Senhor sabe trabalhar e agir, também com instrumentos insuficientes"».

As tarefas da Direção Editorial confiada na qualidade de Diretor ao Dr. Andrea Tornielli com base no Artigo 9 do Estatuto do Dicastério para a Comunicação

Art. 9 à Direção Editorial compete:

1º o orientação e coordenação de todas as linhas editoriais de competência da Secretaria para a Comunicação;

2 ° o desenvolvimento estratégico de novas formas de comunicação;

3 ° a integração eficaz da mídia tradicional com o mundo digital, com atenção constante à dimensão universal da comunicação da Santa Sé.

18 dezembro 2018, 13:15