Versão Beta

Cerca

Vatican News

Rede de Notícias da Amazônia é “prato feito” para o Sínodo

Presidente da associação que agrega 20 emissoras de rádio da região, Pe. Edilberto Sena, fala da importância do serviço da Rede de Notícias para o Sínodo Especial marcado para outubro de 2019. Com ousadia, a rede independente pretende dar uma resposta sinodal importante para o mundo.

Andressa Collet - Cidade do Vaticano

O Sínodo para a Amazônia, marcado para outubro de 2019, passa por uma preparação agora, já que os caminhos de evangelização estão sendo elaborados inclusive pelo próprio povo que mora naquela região, desde as comunidades rurais e ribeirinhas até as cidades, dos migrantes e deslocados até os índios.

A Rede de Notícias da Amazônia, uma referência na área, que existe há 10 anos para fazer “a Amazônia falar para a Amazônia”, ajuda nesse processo, como confirma o presidente, Pe. Edilberto Sena, da diocese de Santarém, no Pará.

Programa “Caminhos da Amazônia”

O canal agrega 20 emissoras em rede, de profissionais oriundos de diferentes rádios locais. Na programação, a transmissão de um noticiário de 30 minutos, de segunda à sexta-feira, e, aos finais de semana, espaço especial para a educação ambiental chamado “Caminhos da Amazônia”. De fato, um dos conteúdos mais importantes da Rede é sobre o cuidado do meio ambiente, garantindo a preservação das espécies da fauna e da flora amazônica em perfeita harmonia com os habitantes da região. A temática está intimamente ligada à Encíclica do Papa Francisco, a Laudato si’, e ao Sínodo para a Amazônia.

Um "prato feito" a serviço do Sínodo para a Amazônia

“A Rede de Notícias da Amazônia também é  hoje um ‘prato feito’ a serviço também do Sínodo para a Amazônia. Porque, como nós já temos, como compromisso, abrir espaço para que os povos da Amazônia, os lutadores sociais tenham vez e voz para contar suas lutas e testemunhos, então, tudo isso, exatamente serve para que a Igreja possa escutar os povos da Amazônia e dizer como é que nós precisamos de uma Igreja com rosto, com pés e com braços amazônicos.”

No final do mês de outubro, dezenas de representantes das emissoras associadas à Rede se encontraram em Manaus para avaliar os trabalhos realizados no último ano. A oportunidade também foi para discutir sobre os próximos passos para continuar unindo a Amazônia e aproximando seus habitantes.

A Rede de Notícias, dentro do atual momento de crise da região, transformou-se num instrumento fundamental para ajudar a estimular a identidade local e a consciência crítica dos povos e menos favorecidos, num compromisso para valorizar a diversidade das culturas e interesses, do amor, da defesa e proteção da “Casa Comum”. Com ousadia, a rede independente pretende dar uma resposta sinodal importante, além de democratizar a comunicação na região amazônica, priorizando os testemunhos locais e divulgado suas ações.

01 novembro 2018, 13:26