Versão Beta

Cerca

Vatican News
Pope Francis Jovens são motivados a voltar a inundar a Igreja com novas ideias  (ANSA)

Perseverança: palavra-chave da dinâmica da juventude

O Sínodo dos Bispos dedicado aos jovens terminou no domingo (28), em mais uma oportunidade em que o Papa Francisco falou da importância de se criar oportunidades para se abrir à experiência dos mais velhos. Auditor brasileiro, Filipe Dominguez, também abordou em entrevista os resultados da assembleia, num momento para voltar a inundar a Igreja com novas ideias e novo ardor.

Amábile Corrêa – Cidade do Vaticano

Encerrou-se neste domingo (28) com a Santa Missa presidida pelo Papa Francisco na Basílica de São Pedro, a XV Assembleia Ordinária dos Bispos dedicados aos jovens que teve início no dia 03 de outubro. O jornalista e auditor do Sínodo, Filipe Dominguez, falou sobre o sentido de todas as reflexões, propostas e encontros realizados durante o período sinodal.

“A gente aprendeu muita coisa aqui, mas uma coisa que me marcou muito pessoalmente foi essa ideia de caminhar juntos, mas colocado em prática, e também inclusive na peregrinação, na oração isso ficou evidente nesse Sínodo que esse processo de caminhar juntos não é só sentar numa sala e conversar e fazer uma reunião. Às vezes a gente na Igreja está acostumado a ter muita reunião, mas o caminhar juntos ele é também rezar juntos, ele é se movimentar juntos, fazer peregrinação, sair pra rua, as amizades, e eu acho que isso já tem muito a ver com a realidade dos jovens. Os jovens, entre eles, já fazem muito isso. Então acho que aqui no Sínodo, a gente ouvindo alguns padres sinodais disseram que esse foi o mais leve, o mais alegre, tinha o cardeal Sako que fazia piadinhas, tinha uma certa leveza que os jovens trouxeram. Então, eu diria isso: caminhar juntos, que seja uma coisa que a gente leve para todos os processos e para tudo o que a gente faz na Igreja.”

“ Caminhar juntos é rezar juntos, se movimentar juntos, fazer peregrinação e sair pra rua. ”

As várias faces da juventude deve nos impulsionar a aplicar na realidade o que o Sínodo produziu, tendo como grande protagonistas os jovens.

“É preciso que as pessoas agora se encontrem e façam uma reflexão local, reuniões pós-sinodais e reflitam sobre como aplicar isso na realidade, porque uma das coisas que está claro também no documento é que não existe só um tipo  de juventude, existem várias juventudes, como a gente diz na América Latina, e isso tem que ser refletido conforme cada realidade. Acho que precisam as pessoas de cada lugar e os jovens de cada lugar serem realmente protagonistas nesse processo de promoção e aplicação do que sai aqui do Sínodo”.

Perseverança é a palavra chave na dinâmica da juventude desse tempo de abrir-se para escutar a experiência dos mais velhos, voltar a inundar a Igreja com novas ideias e novo ardor.

“Não desistam! As vezes a gente vai encontrar desafios, a gente vai encontrar problemas, a gente vai encontrar pessoas que vão ter resistência às novas ideias, mas eu acho que não podem desistir de trazer ideias novas, de trazer métodos novos. Mas ao mesmo tempo estejam abertos para aprender dos mais velhos, o Papa está pedindo isso para a gente. Então, tragam novas ideias. Não desistam, insistam! Mas ao mesmo tempo estejam abertos a ouvir os mais velhos, estejam abertos a aprender com quem já tem mais experiência”.

Ouça a reportagem
30 outubro 2018, 15:23