Versão Beta

Cerca

Vatican News
Briefing na Sala de Imprensa da Santa Sé em 26 de outubro de 2018 Briefing na Sala de Imprensa da Santa Sé em 26 de outubro de 2018 

No Sínodo sentimos a força do Espírito Santo, diz Dom Martin

Um grande sinal, um momento de graça, uma orquestra maravilhosa. Estas são algumas das definições dadas pelos Padres Sinodais que participaram do briefing esta sexta-feira na Sala de Imprensa da Santa Sé ao evento sinodal que se conclui no domingo com a Missa presidida pelo Papa Francisco.

Amedeo Lomonaco - Cidade do Vaticano

A esperança é de que o que foi afirmado pelos jovens e bispos sobre as situações de sofrimento e de injustiça presentes em seus países, encontre também eco público. "Faço votos que também exista uma voz forte para dizer ao mundo político-econômico quantas injustiças existem no mundo". Assim expressou-se nesta sexta-feira o cardeal Christoph Schönborn, arcebispo de Viena e presidente da Conferência Episcopal Austríaca, ao se pronunciar no encontro com os jornalistas na Sala de Imprensa da santa Sé.

Da escuta ao discernimento

 

"O caminho sinodal - disse o cardeal - é o do discernimento". "No final falará o Papa, como já falou. Mas primeiro vem a escuta". "O Sínodo - sublinhou o arcebispo de Viena - é um grande sinal, por isso faço votos de que seja visto, ouvido e transmitido". Ele recordou, em particular, o que lhe disse um jovem africano proveniente de um país abalado pela guerra civil: "a Igreja é a nossa única esperança, lugar de acolhida e de compreensão, onde podemos nos sentir em casa."

Embaixadores do Sínodo

 

Para Dom Eamon Martin, arcebispo de Armagh e presidente da Conferência dos Bispos irlandeses, o Sínodo foi “um momento de graça” em que se sentiu “a presença e o poder do Espírito Santo.” Agora – observou - essa força e essa alegria devem ser transferidas para as várias dioceses.

 

"Quando eu retornar ao meu país - afirmou o prelado - terei que ser um embaixador do Sínodo". "A Igreja - sublinhou o arcebispo de Armagh - quer dirigir-se a todos os jovens do mundo". "Quer trabalhar com jovens, não somente para os jovens". "Eu volto para casa - concluiu Dom Martin - com a ideia de que serão os jovens os agentes de evangelização ".

Uma grande sinfonia

 

No briefing a voz da África elevou-se graças às reflexões de Dom Anthony Muheria, arcebispo de Nyeri (Quênia): "Esperamos - disse ele - que deste Sínodo possa surgir uma nova chama que entusiasme os jovens". "Nós, bispos - acrescentou - esperamos poder “incendiar" os jovens com o amor de Deus".

Para o prelado, participar do Sínodo foi "como ouvir uma maravilhosa orquestra". "No início, talvez parecia estar um pouco desafinada." "Mas depois -  sublinhou - o Espírito Santo nos guiou em direção a uma grande sinfonia".

Será o Espírito Santo a guiar a Igreja

 

Na mesma linha de pensamento, o padre Enrique Figaredo Alvargonzalez, prefeito apostólico de Battambang (Camboja): do Sínodo vem "uma nova energia". "Certamente o Sínodo tem no próprio coração os jovens, a vocação, o discernimento e, portanto,  teremos uma nova energia para os jovens entre os jovens "." Esperamos - concluiu - que a Igreja seja rejuvenescida, mas  será o Espírito Santo a nos guiar".

Jovens não são espectadores

 

Erduin Alberto Ortega Leal, jovem auditor e membro da Comunidade de Sant'Egidio (Cuba), sublinhou que na Igreja  "os jovens  não devem ser considerados como espectadores, mas verdadeiros protagonistas". "O mundo – acrescentou ele - é atormentado por tantos  problemas". "Mas este mundo está focado apenas no presente". "Os jovens, pelo contrário,  - observou o jovem cubano - precisam olhar para o futuro": "O Sínodo nos deu a oportunidade de ouvir e ser ouvidos".

No sábado, a votação no Documento Final

 

Paolo Ruffini, prefeito do Dicastério para Comunicação, recordou que no sábado, 27 de outubro, será lido o Documento final. Será votado parágrafo por parágrafo. O texto  - especificou Ruffini  - "necessita de uma maioria qualificada para aprovação".

Para a parte da tarde, um encontro com poemas, espetáculos, danças e músicas. Neste encontro, conforme especificado pelo prefeito, participam padres sinodais e jovens.

No briefing também foram apresentadas as estatísticas gerais sobre o Sínodo e dados sobre as redes sociais – facebook, twitter e Instagram – além de dados sobre o L’Osservatore Romano durante Sínodo.

26 outubro 2018, 16:49