Versão Beta

Cerca

Vatican News
2018.09.21 Card. Pietro Parolin Cardeal Pietro Parolin 

Parolin: Dom Nicora valorizou a cooperação entre Igreja e comunidade política

Na quinta-feira (25/10) foi realizado um Simpósio com a presença do cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado de Sua Santidade para recordar o cardeal Attilio Nicora, presidente emérito da Administração do Patrimônio Apostólico da Sé Apostólica, falecido em 22 de abril de 2017

Cidade do Vaticano

O Cardeal Attilio Nicora, é reconhecido pelo precioso serviço prestado com competência singular quer à Igreja quer à sociedade civil na Itália, especialmente no campo jurídico com a revisão da Concordata Lateranense e a atualização do sistema de apoio econômico à Igreja Católica e de sustentamento do clero. Dom Nicora foi um presidente rigoroso e clarividente, primeiro da Apsa e depois da Aif (Autoridade de Informação Financiária), foi também bispo-auxiliar da Diocese de Milão.

Herança espiritual

Ao fazer o discurso conclusivo do Simpósio dedicado à memória do cardeal Nicora, o Cardeal Pietro Parolin, falou da sua experiência ao lado de Dom Nicora: “Considero uma graça tê-lo conhecido, e colaborado com ele principalmente nos últimos anos, depois da minha volta à Roma, e compartilhado em várias ocasiões, pensamentos, sentimentos e preocupações. Minha alma se enche de alegria ao ver evocada a sua herança espiritual com palavras tão belas e íntimas.

Caridade com muita paixão

Parolin prossegue: “Dom Nicora recorreva ao tema da caridade com muita paixão e de algum modo, transfigurava todo o resto dando às suas palavras e aos seus encargos uma dimensão viva, original, acompanhada por um espírito de serviço que iluminava cada seu gesto. A este espírito de serviço se inspirou a sua relação com o mundo da cultura e da Universidade Lumsa de Roma”.

A nova Europa

Ao falar sobre o espírito de inovação na nova administração eclesiástica unindo a tradição laica da história italiana com a visão constitucional do segundo pós-guerra que colocou a Itália no grupo das nações que construíam uma nova Europa disse: “Dom Nicora foi uma das figuras mais eminentes da cultura europeia que olhava para o futuro e via nas relações eclesiásticas baseadas nos princípios da saudável laicidade e da colaboração, um dos alicerces da nova história do continente. E foi uma história que se tornou unitária, deixando para trás antigas divisões, dolorosas separações, causadas pelos totalitarismos e perseguições de homens de várias fés.

“Nas suas palavras  - frisou Parolin - encontramos unidas duas grandes diretrizes do seu pensamento e ação: a ampla visão da Europa e das suas transformações e dificuldades. Para ele, o processo de unificação deveria ‘superar a fase econômico-monetária integrando-a numa perspectiva mais política, considerando sempre as resistências especialmente em temas delicados como a política exterior, a defesa e a justiça’ e esperava que esta unificação ‘valorizasse o grande princípio conciliar da cooperação entre a Igreja e a comunidade política, não como busca de uma ambígua troca de concessões e privilégios, mas como um empenho de contribuições convergentes e construtivas para a promoção do homem e da própria comunidade política na ótica do bem comum”.

Dívida externa dos países pobres

Sobre a dívida externa, Cardeal Parolin destacou que para Dom Nicora “a dívida externa dos países mais pobres de um ponto de vista estritamente legalistas das obrigações financeiras entre Estados, do direito das obrigações entre Estados leva inevitavelmente à formas de usuras internacionais”, continua Parolin “como se sabe, a Santa Sé há muito tempo relevou esta questão em muitas sedes internacionais e colocou como base para os novos equilíbrios estratégicos que devem caracterizar as relações entre os Povos e as Nações”.

Legislador e pastor

Cardeal Parolin recordou também um aspecto muito peculiar da sua sensibilidade de legislador e pastor. Falando que “dedicava muita atenção e paixão aos mínimos detalhes das leis que ajudou a construir, como a condição do Clero e a nova estrutura normativa e retributiva. Sua lúcida análise acompanhou a superação do sistema beneficiário às novas exigências do Clero na nova realidade social, com suas condições pessoais de necessidades econômicas e assistenciais. Ao valorizar o Clero católico, Nicora recordava o aspecto evangélico e social dos sacerdotes principalmente em algumas situações: muitas vezes o ministério do clero católico representa a única forma concreta de animação cultural e social de várias realidades humanas, animação que é necessária para que os próprios valores constitucionais possam crescer nas consciências e se solidificarem”.

A sua lição é perene!

Para o Cardeal Parolin devemos ter consciência da grande herança deixada pelo cardeal Nicora: “Precisamos da sua fé, do seu profundo sensus Ecclesia, da capacidade de conjugar o conhecimento das disciplinas eclesiásticas, do direito canônico em particular, com a sensibilidade pastoral, da sua retitude, do seu exemplo de rigorosidade, do seu estilo exemplar. A sua lição é perene!

Concluindo, Parolin afirma: “Podemos dizer que a figura do cardeal Nicora tem uma justa colocação entre os que mais contribuíram nas últimas décadas para melhorar a vida da Igreja e da Sociedade civil”.

Ouça e compartilhe
26 outubro 2018, 12:15