Cerca

Vatican News

Chaire Gynai: um projeto do coração do Papa Francisco

Scalabrinianas atendem pedido do Papa Francisco e abrem casa para mulheres refugiadas em Roma. Projeto é administrado por brasileiras e foi inaugurado no domingo (30/09) com a presença do Cardeal João Braz de Aviz.

Bianca Fraccalvieri - Cidade do Vaticano

A Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo-Scalabrinianas inaugurou no domingo (30/09), em Roma, uma casa de acolhida de mulheres e crianças migrantes e refugiadas.

O projeto foi chamado Chaire Gynai, que em grego significa “Bem-vinda, mulher” e é a resposta das scalabrianias ao pedido do Papa Francisco para que elaborassem e realizassem um programa de assistência a mulheres e crianças. De modo especial, para aquelas em situação de refúgio, mas atende também mulheres vulneráveis em processo de migração com ou sem filhos.

Toque brasileiro

A finalidade é favorecer a estas mulheres a conquista da própria autonomia e a integração na sociedade romana. Elas podem permanecer na casa por seis meses, até que consigam se organizar entre trabalho e moradia, com o auxílio de religiosas, psicólogos, assistentes sociais e advogados.

Chaire Gynai tem um “toque brasileiro”, pois seja a Superiora-Geral, Ir. Neusa de Fátima Mariano, seja a diretora do projeto, Ir. Eleia Scariot, são brasileiras, e esta solidariedade foi ressaltada pelo Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, Cardeal João Braz de Aviz, que abençoou a casa na inauguração:

“O Brasil na vida consagrada - irmãs, padres, irmãos - está sempre mais presente e isso me dá muita alegria. Sempre pensei que nosso povo fosse generoso. Se no Brasil estamos numa confusão muito grande, política, econômica etc, nós vemos sinais de vida do brasileiro que está presente em tantos lugares do mundo. Ou seja, não é só o mal que prevalece, não é só a dificuldade que aparece, mas aparecem também esses sinais e sementes de vida, como esta casa para migrantes aqui em Roma como resposta a um projeto do Santo Padre. O que a gente vê aqui é esperança.”

Já Ir. Neusa afirma que se trata de um “momento de ação de graças”, respondendo ao apelo do Papa Francisco:

Ir. Neusa de Fátima Mariano
Ouça a reportagem completa
01 outubro 2018, 10:32