Versão Beta

Cerca

Vatican News
A Caravana de Migrantes de Honduras para o México A Caravana de Migrantes de Honduras para o México  (AFP or licensors)

Bispos de Honduras: caravana de migrantes é uma tragédia humana

Os Bispos da Conferência Episcopal de Honduras, lançaram um comunicado com pesar e séria preocupação pela “tragédia humana”, como chamou o Papa Francisco, que é a migração de milhares de hondurenhos que abandonaram suas terras, buscando melhores oportunidades de vida, para eles e suas famílias.

Cidade do Vaticano

Segundo o comunicado da Igreja hondurenha, a "Caravana de Migrantes" é uma realidade abominável, causada pela atual situação de crise de Honduras, obrigando as pessoas a abandonarem o pouco que possuem, para se aventurarem sem nenhuma certeza na rota migratória para os Estados Unidos. Com o desejo de chegar à terra prometida, e do “sonho americano”, tentam resolver seus problemas econômicos e melhorar suas condições de vida e de seus familiares, em muitos casos, garantir a tão sonhada segurança física.

A Igreja em Honduras, afirmam os bispos, reconhece o direito humano de cada pessoa a procurar uma vida digna e realização pessoal, familiar e comunitária. É dever do Estado hondurenho dar aos seus cidadãos os melhor para sustentar suas necessidades básicas que são: trabalho digno, estável e bem retribuído, saúde, educação e moradia. Enquanto estas condições não forem satisfeitas, as pessoas são obrigadas a viver na fatalidade e muitos deles a tomar um caminho que possa levar a uma vida melhor, com a dolorosa e vergonhosa necessidade de abandonar suas famílias, suas amizades, sua comunidade, sua cultura, seu ambiente e a terra que os viu nascer.

Uma crise humanitária que o povo sofre há muitos anos

Esta crise humanitária em Honduras não é nova, dizem os bispos, há anos que o povo sofre com isso. Muitos hondurenhos partiram para o México e Estados Unidos!

“ Fomos surdos diante dos gritos de abuso e de violação de seus direitos nas caminhadas e fomos cegos em não ver esta realidade, preferimos nos alegrar com a chegada de remessas de dinheiro, como uma solução aos problemas internos ”

A novidade desta caravana, dizem os bispos, é a quantidade de pessoas, milhares, na maioria jovens, que vão com a esperança de obter melhores condições de vida. Não é hora de culpar as pessoas ou os partidos políticos, nem o Governo atual. Isso seria olhar o problema de maneira superficial, a responsabilidade é de todos! A solução não é pedir para que voltem, a solução deve ser encontrada dentro do país abrindo novas oportunidades permanentes para a realização pessoal e familiar, criando fontes de trabalho para todos.

Buscar soluções humanitárias ao povo

Para os bispos este é o momento de encontrar soluções humanitárias para a população que está na caravana, mas também é hora que tanto o Governo, quanto o setor financeiro, empresarial, trabalhadores, camponeses e a sociedade em geral assumam a tarefa de estabelecer um novo pacto social que resolva profunda e definitivamente este drama social hondurenho . A migração é apenas a ponta deste vulcão, porém, a pobreza, a desigualdade e a falta de oportunidades são outros componentes. As classes empresariais não podem ficar insensíveis diante do clamor da população. Para a sociedade hondurenha não bastam os “remendos”, precisamos de soluções definitivas.

Os migrantes não são assassinos

Os bispos disseram também que é uma necessidade dos países desenvolvidos e do próprio Estados Unidos deixar de fomentar a xenofobia e condenar os migrantes classificando-os como criminosos. Devem rever suas políticas migratórias e assumir a proposta humanista do Papa Francisco na sua Mensagem de 2018 sobre a as migrações: "Acolher, proteger, promover e integrar os migrantes e os refugiados".

Uma oração para os irmãos que estão na caravana

Pedimos aos países irmãos, escreve o comunicado, por onde passa a caravana dos migrantes hondurenhos, que respeitem seus direitos fundamentais, e os ajudem, por motivos humanitários para que eles possam prosseguir na busca de suas realizações. Agradecem os países vizinhos como Guatemala e México.

No comunicado os bispos afirmam que os integrantes da Caravana de migrantes contam com seu apoio e orações a Deus, por intercessão maternal da Virgem Santíssima “Nossa Senhora de Suyapa”, para que proteja a caminhada, os sustente com a sua graça e seu amor e lhes conceda o prazer de ver realizada toda as suas esperanças.

Ouça e compartilhe
22 outubro 2018, 10:52