Versão Beta

Cerca

Vatican News
Papa Francisco na Viagem Apostólica à Colômbia Papa Francisco na Viagem Apostólica à Colômbia  (Vatican Media)

G. Burke: Papa na Irlanda para celebrar a família, escola de virtude

Na coletiva de imprensa com os jornalistas. o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Greg Burke, apresentou os vários momentos da viagem do Papa Francisco à Irlanda, marcada para os dias 25 e 26 de agosto.

Amedeo Lomonaco - Cidade do Vaticano

Há dois momentos centrais da 24ª Viagem Apostólica do Papa Francisco à Irlanda: o festival marcado para o próximo sábado no Croke Park Stadium e a Santa Missa de domingo no Phoenix Park. Foi o que sublinhou o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé,  ao apresentar  aos jornalistas nesta terça-feira, 21,  o programa da viagem do Pontífice por ocasião do IX Encontro Mundial das Famílias.

Ao VaticanNews, Greg Burke recordou que os dois dias de Francisco na Irlanda, 25 e 26,  também serão marcados por momentos especiais de oração:

R. - Será uma viagem muito breve, mas também muito intensa. Acredito que veremos o Papa que falará e celebrará com as famílias. Sábado à noite haverá a vigília e domingo a Missa. Depois, no sábado, haverá outro evento, na Catedral, durante o qual o Papa verá casais jovens: casais que se casaram recentemente ou que em poucos meses receberão o Sacramento do Matrimônio. Então, este será outro momento para a família.

A Irlanda é um país abalado pelo flagelo dos abusos. Na recente Carta ao Povo de Deus, o Papa Francisco falou precisamente desse flagelo como um "crime" que gera profundas feridas. Justamente para aliviar essa dor, para tentar estar próximo daqueles que sofreram, o Papa rezará e também se encontrará com algumas vítimas ...

R. - Segundo o programa, haverá oração na Capela do Santíssimo da Catedral, onde há anos está acesa uma vela por todas as vítimas dos vários abusos. O Papa rezará lá em silêncio. No programa, não está previsto um encontro com as vítimas, mesmo que durante as viagens, onde os abusos foram uma realidade marcante, o Papa encontra as vítimas. Somente após o encontro, serão  as vítimas a dizer o que querem tornar público. O importante para o Papa nesses momentos é que seja um momento de oração, de silêncio, de escuta.

Existe o risco de que a questão dos abusos possa de alguma forma ofuscar esta viagem a Dublin?

R. – Certamente, não é fácil fazer uma viagem normal, tendo em conta os recentes acontecimentos na Irlanda. Dito isto, é claro que o Papa vai para a Irlanda por uma razão, que é o Encontro Mundial das Famílias. E esta será sua ênfase.

Qual é a situação das famílias irlandesas?

R. - Eu acredito que a Irlanda é um país de grande tradição católica, cristã, mas que se desenvolveu muito rapidamente ultimamente, e também se tornou secularizado. Portanto, sempre há desafios para as famílias, mas talvez ainda mais hoje. Este, portanto,  é um bom teste: o Papa acredita que a família é a escola das virtudes e que, em uma família, uma pessoa pode aprender a pensar não apenas em si mesma, mas também nos outros. É por isso que o Papa  fala sempre da importância da família para toda a sociedade. Então a família deve ser apoiada.

Durante a viagem a Dublin, o Papa Francisco também rezará para que o homem possa libertar-se de uma forma particular de dependência ...

R. - Durante a transferência da nunciatura para a catedral, o Papa irá parar para rezar diante das relíquias de um venerável, Matt Talbot. Por muitos anos este Venerável bebeu,  bebeu muito ... Embora ele não seja santo, as pessoas pensam nele um pouco como um patrono das vítimas da dependência  do álcool. Será um tempo muito breve, mas claramente é uma história interessante.

Ouça a entrevista
21 agosto 2018, 13:29